Desde 2004, a Semana de Ação Mundial (SAM) informa e engaja a população em prol do direito à educação em mais de 100 países. A edição de 2021 está com inscrições abertas até o dia 14 de maio. O evento ocorrerá entre os dias 14 e 21 de junho, com o tema “A educação está passando a lição: Financiamento e escola segura! Ensinar e aprender com infraestrutura!”, objetivando a necessidade de garantir segurança para o retorno às atividades presenciais nas escolas, em cenário de pandemia de Covid-19. Para se inscrever, clique aqui.

Na visão da Campanha Global pela Educação e também para a Campanha Nacional pelo Direito à Educação no Brasil, para isso acontecer de forma segura é preciso financiamento, assim como um sistema educacional público, gratuito e inclusivo fortalecido. Desde a primeira edição da SAM, mais de 85 milhões de pessoas em todo o mundo já se mobilizaram e, apenas no Brasil, já são cerca de 1,7 milhão de pessoas.

Como acontece a mobilização

A SAM acontece por meio de atividades autogestionadas (ou seja, cada um faz a sua, de acordo com seu contexto). Os participantes interessados no tema – professores, famílias, gestores, conselheiros, tomadores de decisão e todas as pessoas preocupadas com a garantia do direito à educação – são convidados a realizarem atividades e encontros a respeito do tema abordado no ano – o financiamento para um sistema educacional público, gratuito e inclusivo, fortalecido e seguro. Com a pandemia, a ideia é que as atividades sejam remotas.

Materiais de mobilização são disponibilizados no site do evento. Além disso, os participantes são incentivados a postarem as ações realizadas nas redes sociais, usando as hashtags #SAM2021, #FinanciamentoEEscolaSegura e #EducacaoComInfraestrutura.

Confira os objetivos da SAM 2021:

  1. Financiar adequadamente a educação com transparência e controle social para garantir uma educação de qualidade e o cumprimento do PNE;
  2. Promover reforma tributária que favoreça o aumento dos recursos públicos a serem destinados para a educação, por meio de sistema tributário progressivo;
  3. Promover medidas de alívio ou cancelamento de dívidas para países de renda média e de renda baixa e financiamento de 0,7% do PIB de países ricos em ajuda ao desenvolvimento;
  4. Construir e fortalecer sistemas públicos que garantam equidade e inclusão, cobrindo todas as etapas e modalidades de ensino ee combatendo discriminações por classe, raça e etnia, gênero, etárias, deficiência, entre outras;
  5. Fornecer educação pública, de gestão estatal,  gratuita e de qualidade para todas as pessoas, acabando com a tendência de privatização e comercialização da educação;
  6. Melhorar a qualidade do ensino por meio de condições de trabalho, valorização e formação inicial e continuada de trabalhadoras e trabalhadores da educação;
  7. Garantir espaços de participação e protagonismo da comunidade escolar nas decisões sobre a educação;
  8. Proteger as crianças e adolescentes de toda forma de violência, discriminação e opressão.