A imagem de um menino sírio, sobrevivente a um bombardeio em Aleppo, denunciou ao mundo as violações aos direitos das crianças e adolescentes cometidas em situações de conflito. Na Síria, isso acontece há pelo menos cinco anos. A foto daquele menino ganhou as redes sociais e chocou muita gente, porque deu nome, idade e imagem a violências que ocorrem diariamente.

Por que estamos ignorando a violação aos direitos das crianças e adolescentes no mundo? Quando uma criança tem sua imagem exposta na mídia internacional em uma situação degradante, ela já teve todos seus direitos desrespeitados: o direito à educação, ao brincar, à saúde, a um lar, à família… o direito à infância.

É inevitável se comover diante uma imagem dessa, mas é urgente olhar com os mesmos olhos para todas as violações anteriores. A comunidade internacional precisa respeitar a Declaração Universal dos Direitos da Criança e estabelecer metas globais na defesa das crianças e adolescentes expostos a tanta violência, punidos e impedidos de vivenciar uma infância plena. Só lamentar não adianta…