Crédito: Leo Duarte

No Dia Internacional das Meninas, celebrado nesta quinta (11), o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, pediu o fim das desigualdades de gênero. Segundo ele, a discriminação sistemática e falta de oportunidades de aprendizado são algumas barreiras que impedem as jovens mulheres de alcançar a vida plena.

Os estereótipos sobre o futuro e a carreira das meninas também prejudicam o desenvolvimento delas. Para Guterres, o preconceito começa na escola primária e tem efeito devastador ao fazê-las duvidar de seu próprio potencial, em áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

Ainda segundo publicação da ONU, existem 600 milhões de adolescentes mulheres no mundo hoje. Atualmente, as mulheres representam apenas 30% de todos os profissionais formados em tecnologia da informação e comunicação.

Outra preocupação da organização internacional é referente às decisões sobre o próprio corpo. Ainda segundo o texto publicado pela organização, a diretora-executiva do Fundo de População da ONU (UNFPA), Natalia Kanem, alertou que o casamento infantil e a gravidez na adolescência forçam milhões de meninas a abandonar a escola.

A Criança e o Adolescente nos ODS – Igualdade de Gênero

Em agosto, escrevi um post a respeito do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 5 (Igualdade de Gênero), firmado por países do mundo inteiro, por meio da Agenda 2030, da ONU. O machismo é uma dor profunda para as mulheres e para a sociedade de maneira geral. Saiba mais sobre os indicadores brasileiros a respeito da condição de vida das mulheres no país neste link.