Por ser menina, você não pode se sentar com as pernas abertas. Por ser menina, você não pode falar palavrão, jogar bola, se sujar… Por ser menina, você é mais frágil.

Comporte-se como uma menina. Vista-se como uma menina. Ande como uma menina! A violência contra a mulher começa muito cedo, de diversas maneiras.

Há casos alarmantes, como violência sexual, casamento infantil e gravidez precoce, constantemente abordados aqui no blog. Há também a violência velada, nas palavras e imposições sociais que insistem em nos fazer acreditar que somos menos.

Separei aqui quatro dicas de livros empoderadores para nossas meninas e um para os pais. Confira:

 

Malala, a menina que queria ir para a escola

A jornalista Adriana Carranca relata a história da adolescente paquistanesa Malala Yousafzai, baleada por membros do Talibã aos 14 anos, por defender a educação feminina.

 

Coisa de Menina

O que é coisa de menina? Todos deveriam saber muito bem, diz a autora Pri Ferrari. Não existe regra e todo mundo pode tudo. Tem menino que gosta de brincar de casinha e tem menina que gosta de construir foguete. A liberdade é a melhor escolha.

 

Para educar crianças feministas – um manifesto

Para os pais, o livro de Chimmanda Ngozi Adichie aborda o tema da igualdade de gêneros em um manifesto com quinze sugestões de como criar filhos dentro de uma perspectiva feminista.

 

Procurando Firme

Na obra de Ruth Rocha, a princesa é um pouco diferente das outras, porque ela não quer ser uma princesa. Em vez de ficar no castelo e esperar pelo príncipe, ela quer sair para conhecer o mundo.

 

Matilda

Matilda era incompreendida, porque adorava ler. Passava horas na biblioteca. Em casa, os pais achavam estranho uma menina gostar tanto ler. Na escola, a diretora acreditava que uma criança não poderia saber tantas coisas. Tudo mudou quando a menina conheceu uma professora, a senhorita Mel.