Crédito: Bruna Ribeiro

Brincar é coisa séria. O brincar é um direito. É um direito humano, porque é essencial para o desenvolvimento das crianças. Quando falamos em garantia à proteção integral, em erradicação do trabalho infantil e acesso à educação de qualidade, falamos também do brincar…. da livre expressão, da voz da criança, da fantasia… Sem isso, não existe infância.

Já postei aqui no blog sobre o projeto Videocamp – uma plataforma que viabiliza a realização de exibições públicas e gratuitas de filmes com potencial de impacto. Eles criaram uma lista de quinze filmes que pensam a infância, a cultura brasileira e o brincar – uma ótima lista para educadores durante o período de planejamento de volta às aulas!

O incrível documentário O Começo da Vida, por exemplo, revela devela que o desenvolvimento de todos os seres humanos encontra-se na combinação da genética com a qualidade das relações que desenvolvemos e do ambiente em que estamos inseridos. O filme propõe uma reflexão sobre como a sociedade está cuidando dos primeiros anos de vida, que definem tanto o presente quanto o futuro da humanidade.

Já a ficção Balu conta a história da amizade entre um menino e seu cachorro vira-lata, que dá nome ao filme. Mas a mãe não permite que o cãozinho fique em casa. Um dia Balú desaparece misteriosamente. Em busca do amigo perdido, o menino vai descobrir o mundo à sua volta.

Confira essas e outras montagens neste link!