Carona a pé: uma forma antiga de ir à escola (Divulgação)

Carona a pé: uma forma antiga de ir à escola (Divulgação)

Ao caminhar para o Colégio Equipe, onde leciona, a professora Carolina Padilha sempre observava diversas famílias em seus trajetos a pé ou de carro. Foi quando pensou: Por que não dar carona a pé para as crianças da escola? Ao colocar a ideia no papel, percebeu que 17 alunos moravam em seu percurso. Assim surgiu o Carona a Pé, uma forma de estreitar vínculos na comunidade escolar, melhorar o trânsito e proporcionar uma experiência nova aos alunos – caminhar em grupo.

A ideia surgiu em junho de 2015 e uniu o desejo de transformar a realidade local com o incentivo do caminhar em pequenos grupos até a escola, uma prática antiga que vem se perdendo ao longo do tempo. A professora Carolina explica que o movimento incentiva adultos e crianças a caminharem juntos, em um horário pré-estabelecido, seguindo uma rota determinada.

Ela recrutou pais e responsáveis interessados em participar, formando assim um grupo de condutores, que se revezam na semana. “Temos oito caminhos que acontecem no período da manhã e da tarde, com mais de 80 crianças e 20 adultos envolvidos”, conta a professora Carolina. “Cada rota é conduzida por dois adultos, um na frente das crianças e outro atrás. Os alunos andam de mãos dadas e todos vestem uma faixa especial, com refletivo, para identificação e maior segurança.”

Para tudo acontecer, os grupos estabelecem combinados, como horário e comportamento na rua e nas travessias. “Somos um projeto de mobilidade e temos o objetivo de melhorar a relação das crianças, adolescentes, jovens e adultos com a cidade. Acredito que caminhar ensina as crianças a se comportarem no trânsito e gera confiança entre elas e os condutores, além da importância do compromisso com as outras pessoas do grupo. Tudo isso possibilita uma vida mais saudável”, conclui Carolina.