Lígia Cortez, Diretora do Célia Helena – Centro de Artes e Educação. Foto: Divulgação

Lígia Cortez, Diretora do Célia Helena – Centro de Artes e Educação. Foto: Divulgação

A formação do ser humano de maneira integral tem sido cada vez mais citada no meio da educação, em tempos onde crianças e adolescente têm fácil acesso à informação pela internet. Qual seria o papel da escola nesses novos tempos? Ensinar a pensar e refletir?

Dentro deste grande debate, fica também a carência da valorização das artes dentro do ensino formal. Nesta semana, a Comissão de Educação, Cultura e Esporte aprovou a proposta que altera a Lei de Diretrizes e Bases no ponto referente ao ensino das artes. Pelo texto, a música, o teatro, as artes visuais e a dança são as linguagens que constituirão o componente curricular das artes.

O blog Era Uma Vez conversou com Lígia Cortez, Diretora do Célia Helena – Centro de Artes e Educação, que integra as instituições de ensino artístico Escola Superior de Artes Célia Helena – ESCH, Teatro-Escola Célia Helena – TECH e Casa do Teatro.

Segundo ela, as crianças têm muito a usufruir deste lugar das artes, absurdamente cortado da grade curricular. “Essa é uma herança da ditadura militar que a gente tem. É fundamental para uma criança ter formação em artes. A atividade leva a ter um tipo de pensamento diferente do pensamento em matemática ou português, que é o pensamento do criar. A arte ensina a pessoa a pensar sozinha e ter opinião.”

Há 35 anos, a Casa do Teatro trabalha o desenvolvimento artístico dos pequenos alunos. “A criança tem a possibilidade de inventar, criar e montar um espetáculo com música, dança, capoeira, circo e várias outras linguagens. Isso desenvolve muito, porque existe um lugar da criança que precisa de um contorno artístico para ela conseguir compreender a si mesma, ultrapassar algumas questões pessoais e desenvolver suas potencialidades”.

Confira a entrevista completa:

Blog Era Uma Vez: Em sua opinião, qual é a importância das artes na formação da criança?

Lígia Cortez: As crianças têm muito a usufruir deste lugar das artes, absurdamente cortado da grade curricular, herança da ditadura militar que a gente tem. Infelizmente em vez de melhorar a gente reduziu. Agora está começando a voltar, mas demorou demais.

É fundamental para uma criança ter formação em arte. A atividade leva a ter um tipo de pensamento diferente do pensamento em matemática ou português, que é o pensamento do criar. Arte ensina a pessoa a pensar sozinha e ter opinião.

Em segundo lugar, desenvolve potencial artístico e criativo muito importante pra vida adulta, pois a criança acaba acreditando na maneira que ela escolheu para viver.

Além disso, há muitos talentos não vistos, não conhecidos e desenvolvidos, porque o direito de uma criança ter atividade artística não foi contemplado.

Blog Era Uma Vez: A senhora acredita na educação pelo sensível? Isso pode contribuir no aprendizado de outras disciplinas?

Com certeza. Acho que o recurso artístico traz dentro da criança potencialidades de pensar e aprender. Aquelas crianças que muitas vezes tem um tipo de criatividade maior pode aprender de forma diferente. A criança que não é dez em matemática não significa que ela não seja dez em outra coisa que não seja valorizada. O uso das cores, o manejo da música, do ritmo, do som, a expressão teatro são um grande talento, tão grande quanto os outros.

Blog Era Uma Vez: Na Casa do Teatro, vocês desenvolvem essas potencialidades?

No nosso curso, a criança tem um lugar para se desenvolver fora de toda a realidade formal do Ensino Fundamental e Médio. Ela vai se reunir através da atividade artística com os outros. Ela tem a possibilidade de inventar, criar e montar um espetáculo com música, dança, capoeira, circo e várias outras linguagens. Isso desenvolve muito, porque existe um lugar da criança que precisa de um contorno artístico para ela conseguir compreender a si mesma, ultrapassar algumas questões pessoais e desenvolver suas potencialidades. É uma interligação de várias linguagens. Desde que a Casa abriu, há 35 anos, a gente vem lutando para uma educação em artes dentro do Ensino Fundamental e com certeza essa caminhada artística cada vez faz mais sentido para as crianças.