Annika Göransson e a poltrona Ostrea

Annika Göransson e o sofá Ostrea, que explora certa fluidez

 

A sueca Annika Göransson, de 26 anos, mora em Copenhagen e estuda na Escola de Design da Dinamarca. Ela ganhou recentemente um concurso promovido pela instituição e uma empresa com o sofá Ostrea, de levada orgânica.

A inspiração inicial foram divãs e poltronas do século 19, cheios de franjas, por exemplo. Mas parece ter havido uma limpeza desse tipo de ornamento para chegar a uma peça que lembra uma concha marinha pela forma e pelas texturas.

“Trabalhei com o contraste entre o áspero e suave, o claro e escuro”, escreve ela, que procura, em suas criações, suscitar a curiosidade por meio do fisicamente e visualmente interessante.

A base do sofá é esculpida em uma espécie de isopor denso e então coberta em parte com espuma fria. Os tecidos de lã são colados e costurados à mão, para enfatizar antigas técnicas de estofamento. Também costurado é o segmento laranja, que detalha a parte flexível da peça algo poética.  

 

A parte traseira do estofado, com textura enrugada

A parte traseira do estofado escultórico, com visu enrugado

Fonte: Deezen