Bio Burger, especialidade da chef Paula Soares Junqueira, feito com hambúrguer de cogumelos. FOTO: DIVULGAÇÃO

Ainda tenho na memória o refrescante e suave sabor do leite de castanhas, feito com castanhas-do-pará, água de coco, e adoçado com uvas passas. Vem-me à mente também – e já começo a salivar – o brownie orgânico/vegano, elaborado apenas com ingredientes de origem vegetal, tendo como base um puríssimo chocolate em pó orgânico, feito 100% com amêndoas de cacau. Provei essas deliciosas iguarias no ano passado, durante o Festival de Gastronomia Orgânica, no Parque da Água Branca, na zona oeste da capital.

Mas você não precisa ficar com água na boca e parar de ler este post para ir ao Google atrás das receitas.

Prepare seu paladar para degustar essas e outras inúmeras receitas elaboradas sob os preceitos do vegetarianismo, do crudivorismo e da agricultura orgânica e sustentável no V Festival de Gastronomia Orgânica de São Paulo, que começa amanhã, sexta-feira, dia 17 de outubro, a partir das 10h, no Parque da Água Branca (Av. Francisco Matarazzo, 455 – estacionamento gratuito com entrada pela Rua Dona Ana Pimentel), e prossegue até domingo, dia 19 de outubro, sempre das 10h às 18h (com exceção do domingo, quando o evento se encerra às 17h).

Estarão lá, inclusive ensinando a fazer vários pratos, chefs especializados nas culinárias vegetariana, vegana e crudívora – que têm como objetivos centrais preservar o valor nutricional dos alimentos, valorizar a agricultura sustentável, orgânica e familiar e o consumo consciente – dando um show gastronômico e nutricional.

Vai ter Bio Burger – especialidade da chef Paula Soares Junqueira, do Bio Veg Bistrô, de São Paulo, elaborado com hambúrguer de cogumelos, salada especial e maionese vegetariana –; bobó vegano de cogumelos com farofinha de castanhas e, de sobremesa, trufas vivas, idealizado pelo chef Eduardo Mello, proprietário do restaurante Meu Bem Orgânico, de Curitiba, e o cream cheese – que de queijo não tem nada e é elaborado com amêndoas –, além do “queijo” de noz macadâmia, o cracker de linhaça ou de chia, receitas de Cátia Simionato, terapeuta holística especializada em nutrição vegana. Para “regar” tudo isso, haverá, além do divino leite de castanhas, sucos de frutas e vegetais orgânicos, como os do Box da Fruta, com seu food truck, provando que a alimentação de rua pode ser saudável. Um dos expositores, aliás, a Motocar, apresentará o food truck em forma de triciclo, mais sustentável por não consumir combustível fóssil.

Tendência alimentar do futuro

Para a chef Leila D, idealizadora do festival, vegetarianismo, o veganismo e crudivorismo são “o caminho alimentar do futuro”. “Não só em relação ao fato de serem alimentos efetivamente saudáveis, que garantem uma nutrição integral, mas também em relação à sustentabilidade – será cada vez mais impossível, por exemplo, sustentar um sistema produtivo que privilegie a proteína animal, que demanda muitos recursos naturais”, sentencia.

Desde que iniciou o primeiro Festival de Gastronomia Orgânica, em 2010, no Mercado da Cantareira, o “Mercadão Municipal”, no centro de São Paulo, Leila D só viu o evento crescer. No ano passado, cerca de 7 mil pessoas circularam pelos galpões do Parque da Água Branca – que, ironicamente, no passado serviram para abrigar animais como bovinos, cavalos, caprinos e ovinos em exposições e leilões – em busca de receitas vegetarianas, quitutes e quetais. Este ano, a organização do festival estima que no mínimo 10 mil pessoas compareçam. Entre os organizadores do festival deste ano estão, além de Leila D, a Maná Produções, com apoio da Associação de Agricultura Orgânica (AAO), do Ministério da Agricultura (via Embrapa Meio Ambiente) e do Colégio Wellington.

Trufas vivas, sobremesa vegana do chef Edu Mello. FOTO: DIVULGAÇÃO

Oficinas de culinária, palestras e feira de orgânicos e rodadas de negócios

Quem estiver por ali poderá participar também de oficinas gratuitas na Cozinha Show e conhecer os meios de preparo de vários tipos de alimentos, diretamente com os chefs especializados. Os ingredientes poderão ser comprados na feira de produtores orgânicos que será realizada durante todos os dias do festival – lembrando que no sábado de manhã, das 7h às 12h, a tradicional feira de orgânicos da Associação de Agricultura Orgânica (AAO-SP), realizada no Galpão do Produtor Orgânico, dentro do próprio parque, estará lá também.

Além disso, mais de 50 expositores – não só de alimentos – dos segmentos familiar, orgânico, ecológico e sustentável comparecerão ao V Festival de Gastronomia Orgânica, incluindo aí cosméticos sustentáveis. Serão 20 barracas e quatro food trucks. O V Festival de Gastronomia Orgânica promoverá também palestras sobre alimentação saudável, yoga para crianças, contação de histórias, e trará, novamente, este ano, o Espaço Bem Estar. A programação completa do festival pode ser obtida na página do Facebook ou diretamente no site.

A Secretaria de Agricultura também estará presente, promovendo rodadas de negócios entre interessados em comprar e vender produtos orgânicos, dentro do Programa São Paulo Orgânico.

A Embrapa comparecerá com cinco das suas unidades (Agrobiologia, Hortaliças, Informática Agropecuária, Meio Ambiente e Informação Tecnológica), apresentando tecnologias para a agricultura orgânica e sustentável, como a Fazendinha Agroecológica, hortas orgânicas em pequenos espaços, além de um adubo orgânico e de origem 100% vegetal. Outra novidade que a Embrapa apresenta é o xaxim agroecológico, feito com raízes de milheto e muito semelhantes ao antigo xaxim, extraído da planta Dicksonia sellowiana, originária da Mata Atlântica, cuja exploração foi proibida.

A Organomix, uma das patrocinadores do festival e o primeiro delivery exclusivamente de alimentos orgânicos do País, com mais de 5 mil itens em oferta, e que acaba de inaugurar suas atividades em São Paulo, também estará presente com palestras relacionadas ao tema e também com o Desafio Organomix, no qual o chef Leo Engel terá de de preparar, em uma hora, um prato gourmet só com alimentos orgânicos.

MUDA-SP

O Movimento Urbano de Agroecologia (Muda-SP) não poderia deixar de estar presente, comemorando, paralelamente ao Festival, seu primeiro aniversário. Neste ano de intensas atividades, um dos membros do Muda-SP, Susana Prizendt – que também é coordenadora em São Paulo da Campanha Permanente Contra o Uso de Agrotóxicos e pela Vida – comemora a expressiva adesão de novos “mudeiros”, além da realização de seis curtas-metragens sobre agroecologia, hortas urbanas e consumo consciente; o lançamento do site do Muda-SP e a realização de várias feiras de trocas de sementes e mudas, entre outras iniciativas.

Susana destaca que o Muda-SP estará presente no Parque da Água Branca nos dias 18 e 19 (sábado e domingo), em um dos galpões destinados ao evento. Haverá feira de trocas – de objetos, brinquedos, sementes e mudas – , documentários sobre sustentabilidade e agricultura orgânica e urbana e palestras para difundir a viabilidade de humanizar São Paulo, tornando-a um lugar mais agradável para viver e compartilhar, com hortas urbanas, trocas, consumo consciente e sustentabilidade. Mais informações na página do Facebook do Muda-SP.

Ah! E o leite de castanhas que me aguarde! Fui!