Réplicas de obras são destruídas em novela e artistas não ficam nada felizes

- O Estado de S.Paulo

Em entrevista ao jornal 'Diário de Pernambuco', Mestre Zuza disse que não gostou da atitude da Globo

  

   Foto: Reprodução/Globo

Artesãos pernambucanos foram surpreendidos com a finalidade que a Rede Globo deu a réplicas de suas obras na novela A Lei do Amor. No episódio da última quarta-feira (30), o personagem Tião (José Mayer) destrói peças em um ateiê e diz: "Como é que alguém tem coragem de chamar uma coisa desses de obra de arte? Lixo!".

Em entrevista ao jornal Diário de Pernambuco, Mestre Zuza, criador de uma das esculturas usadas na cena, declarou que ficou constrangido. "Se é pra mostrar a ruindade do vilão, ele que faça outra coisa. Mas em vez de valorizar nosso trabalho, denegriram a nossa imagem dizendo que arte popular é um lixo, que é lama. Prejudicou a nossa imagem", disse ao jornal.

Em nota de resposta ao Diário de Pernambuco, a Globo informa: "A galeria de Helô é formada por peças de artistas de todo Brasil, sendo alguns reconhecidos mundialmente e outros que nunca expuseram. É uma valorização da arte o destaque dado para este cenário em cenas da protagonista. Para a realização das cenas citadas, foram confeccionadas réplicas das obras".

Além disso, a emissora afirma que a cena não foi uma crítica. "Não foi uma critica à arte nem aos artistas, foi um ato em que um homem inescrupuloso está fora de controle, com muita raiva de sua ex-mulher".

O E+ não conseguiu contato com a emissora até o momento.