'Mulher Maravilha é feminista', afirma Gal Gadot

Redação - O Estado de S.Paulo

Novo filme da super-heroína estreia em junho, com atuação de Gal Gadot e Chris Pine

A atriz Gal Gadot

A atriz Gal Gadot Foto: Phil McCarten/ Reuters

Em primeiro de junho estreia o filme Mulher Maravilha. A atriz Gal Gadot, responsável por dar vida à super-heroína, conta as ideias por trás das filmagens e garante: a líder das Amazonas é uma personagem feminista.

"A Mulher Maravilha é feminista, com certeza", disse. A atriz acredita que a sociedade tem uma concepção errada do que é feminismo, que para ela é a liberdade para as mulheres escolherem o que querem para si e a igualdade entre os sexos.

Essa visão influenciou a forma como ela interpretou o seu papel. Gal conta que o seu personagem não dá lições sobre como os homens devem agir ou como as mulheres devem pensar, mas age de forma alheia às regras da sociedade, como se elas não existissem. Na verdade, ela só conhece estas regras quando vai para o mundo dos homens, já que vivia na ilha de seu povo: "Eu quis bancar o peixe fora d'água, mas sem fazê-la parecer boba", a atriz contou.

Esses valores também tiveram influência na construção da relação entre o personagem de Gal Gadot e de Chris Pine, o piloto Steve Trevor. O piloto que pede à Mulher Maravilha para salvar o mundo não poderia ser menos nem mais poderoso do que ela, pois a ideia era de criar uma relação equilibrada.

No filme, Princesa Diana, líder das guerreiras Amazonas, decide sair da ilha paradisíaca isolada do mundo onde vive com seu povo, para interferir numa guerra que pode acabar com a humanidade.