Cinco diferenças entre o live-action e a animação de 'A Bela e a Fera'

Anita Efraim - Especial para O Estado de S. Paulo

Fomos assistir ao longa, que estreia na próxima quinta-feira, 16, e contamos as novidades

Novo longa explica como a mãe de Bela morreu

Novo longa explica como a mãe de Bela morreu Foto: Reprodução de cena de 'A Bela e a Fera' (2017)/ Walt Disney Studios

O live-action de A Bela e a Fera estreia na próxima quinta-feira, 16. Há muita expectativa sobre o longa, estrelado por Emma Watson, afinal, quem não assistiu ao clássico da Disney durante a infância? 

Confira cinco diferenças entre o live-action e a animação: 

Passado dos personagens 

Há duas cenas que revelam um pouco mais do que já se sabia sobre a Bela e a Fera. O personagem principal passou por questões na infância que o fizeram ser um homem arrogante e, consequentemente, sofrer com a maldição da feiticeira.  Além disso, todos sabem que a Bela não tem mãe, sempre foram ela e o pai. No entanto, até o filme de Emma Watson, não se sabia o por quê; agora sabemos. 

LeFou

Lembra-se desse personagem? Não? É o amigo de Gaston, que está sempre com ele. Na animação, ele passa despercebido, mas no novo longa ele é bastante marcante, além de ser o personagem gay prometido pelo diretor

Muitas músicas

Claro que as músicas da animação de A Bela e a Fera são muito marcantes, mas no live-action há mais músicas do que no filme de 1991. Até mesmo a Fera tem uma canção para si.

Humor 

O novo filme tem muitas piadinhas e momentos engraçados, mais raros na animação. LeFou é o responsável por vários deles. Os 'objetos' do castelo, como Lumière, também dão uma graça a mais ao filme. 

Diversidade

Além de LeFou ser gay e ter trejeitos mais femininos, há outro personagem com o mesmo 'estereótipo'. Além disso, há vários atores negros no filme, algo que certamente não se vê na animação.