Ao vivo, Ratinho diz que seus seguranças estão autorizados a atirar para matar

Redação - O Estado de S.Paulo

Segundo especialista, apresentador foi irresponsável e negligenciou seu poder como influenciador

O apresentador Ratinho incitou reposta violenta a furtos e assaltos em seu programa no SBT.

O apresentador Ratinho incitou reposta violenta a furtos e assaltos em seu programa no SBT. Foto: Maurilo Clareto/AE

No Programa do Ratinho que foi ao ar nesta terça-feira, 4,  o apresentador do SBT afirmou que seus seguranças estão autorizados a 'atirar para matar' nas situações em que Ratinho sofrer tentativa de assalto. 

O apresentador disse que já quase sofreu dois assaltos, e usou seu programa para chamar a atenção do governador Geraldo Alckmin (PSDB). "Governador, é uma roubalheira que está em São Paulo, pequenos  furtos e assaltantes. A próxima vez que acontecer comigo, eu vou meter fogo". Ratinho diz ainda que já está avisando, e se acontecer, não quer ninguém falando dele em rede nacional. 

Nathana Lacerda, coach de imagem e reputação, considerou ao E+ que Ratinho negligenciou seu poder de influenciar seus telespectadores - uma audiência mais madura que acredita haver uma desordem séria no Brasil. "Embora o apresentador esteja falando com base em um contexto, ele não tem controle sobre como a audiência vai interpretar o conteúdo. Cada um enxerga de acordo com seu próprio contexto". Ao admitir que reagirá caso haja uma nova tentativa de assalto, Nathana considera que Ratinho pode influenciar um telespectador, sem equipe de segurança pessoal, a reagir a um assalto. 

O pronunciamento foi feito em tom um tanto bélico, com uma voz alta e gestos agressivos. De fundo, uma música em linha com o que estava sendo dito. Quando Ratinho falava sobre tiro e fogo, havia sons de tiro e porrada. Na avaliação de Nathana, a música reforça o conteúdo. "O conteúdo em si é o mesmo, mas as pessoas se sentem mais inseridas na abordagem, ficam mais agitadas e revoltadas". 

Na edição desta terça-feira o Programa do Ratinho registrou 6,4 pontos no Ibope na Grande São Paulo, o que significa que foi visto por mais de 1,4 milhão de telespectadores. O programa, tradicionalmente de teor polêmico, vai ao ar às 22h de segunda à sexta-feira. Às segundas, terças e quartas, a edição é ao vivo.