Quando uma nova relação não dá certo

Barton Goldsmith - O Estado de S.Paulo

Quando a perda é destrutiva, naturalmente é mais difícil a cura, mas não impossível

Quando você se sente destroçado emocionalmente e desconectado da humanidade, vai dar vazão à depressão e deixará de fazer coisas que o mantêm saudável

Quando você se sente destroçado emocionalmente e desconectado da humanidade, vai dar vazão à depressão e deixará de fazer coisas que o mantêm saudável Foto: Antranias/ Pixabay

Quando você começa uma relação, um das duas coisas deve ocorrer. Ou vocês se casam (ou passam a viver juntos) ou se separam, o que, no melhor dos casos nunca é fácil e às vezes se assemelha a um ataque terrorista. Muitas pessoas não reagem bem quando são rejeitadas e algumas simplesmente desmoronam. Sim, pode ser que a pessoa com quem começou a se relacionar seja insana ou dependente e é algo que pode ficar oculto por muito tempo. Lembra do filme "Atração fatal?"

Você, inocentemente, inicia um relacionamento e acaba se envolvendo com uma pessoa perigosa por acaso (o que ocorre mais do que você sabe na internet), porque as pessoas se apresentam de modo muito diferente no início. Melhor ser apresentado a alguém por um amigo recíproco em quem confie em vez de sair com uma pessoa não conhecida. Pode levar no mínimo um ano para conhecer bem uma pessoa e se vocês ficarem muito íntimos muito cedo, está procurando confusão. Infelizmente os tempos mudaram e hoje é importante verificar os antecedentes de pessoas que acabou de conhecer.

Quando você se sente traído de uma maneira que mudou sua vida, é muito difícil tentar um novo relacionamento. Na verdade você cria uma profunda desconfiança e sente-se com muito medo de se aventurar novamente porque fez más escolhas no passado. E tem sentido. Para seguir em frente na vida você terá de curar suas feridas emocionais.

E comece se perdoando. Suas intenções foram honestas, mas as coisas não deram certo porque a pessoa que escolheu estava muito mal e você acabou se ferindo emocionalmente no processo. O que pode fazer neste caso é cuidar de si próprio.

Quando você se sente destroçado emocionalmente e desconectado da humanidade, vai dar vazão à depressão e deixará de fazer coisas que o mantêm saudável. Isso vem me lembrar de que preciso tomar minha vitamina Gummy Bear (mastigável, que recomendo, especialmente porque engolir pílulas gigantes não é algo que atrai muito). Algumas coisas deste tipo o ajudarão a se manter em funcionamento até seu coração e sua cabeça encontrarem o equilíbrio novamente.

Lembre-se que isto é algo momentâneo; não é permanente. Mesmo que agora nunca mais queira olhar para um homem ou uma mulher novamente, o fato é que seus sentimentos de fato estão (e devem estar) numa fase de transição. Mesmo que pareça um processo solitário, precisará de um tempo para si mesmo ou somente em companhia de membros da sua família. Mesmo tendo os seus problemas, ter aqueles que você ama por perto é sempre restaurador.

Enquanto estiver atravessando essa fase difícil, seja gentil consigo mesmo. Em momentos como este até ir ao mercado pode ser difícil, mas também pode ser um bom exercício emocional. Você necessita alimentar seu corpo e tem de sair. Simplesmente, sair para comprar alguma coisa quando não sabe o que fazer, pode movê-lo na direção certa. Ficar na frente da TV ou na internet não o ajudarão nesse sentido (independente do que esteja lendo). 

Você se sentirá mal por algum tempo, mas encontrará momentos de distração em algumas coisas e terá de aprender a conviver com elas. Quando a perda é destrutiva, naturalmente é mais difícil a cura, mas não impossível, portanto não desista. Continue respirando.

Tradução de Terezinha Martino