Posts de Lil'Kim no Instagram levam a discussões sobre beleza, compleição e imagem

Ben Guarino - The Washington Post

Rapper de 41 anos causou alvoroço ao postar selfies em que aparece com a pele mais clara

A rapper de 41 anos detonou um barril de pólvora na mídia social ao postar uma série de selfies no Instagram com a legenda “Miami Heat!!!.”

A rapper de 41 anos detonou um barril de pólvora na mídia social ao postar uma série de selfies no Instagram com a legenda “Miami Heat!!!.” Foto: Divulgação

Cabeleira loira, pele clareada até brilhar e maçãs do rosto agressivamente esculpidas, pode-se dizer que Lil’ Kim parece um pouco diferente. 

A rapper de 41 anos, cujo nome verdadeiro é Kimberley Denise Jones, detonou um barril de pólvora na mídia social ao postar uma série de selfies no Instagram com a legenda “Miami Heat!!!.” (nome de um time de basquete). A coisa esquentou em Miami, com 10 mil comentários sobre beleza, compleição e imagem corporal turbilhonando em torno dos posts de Kim.

As emoções manifestadas na mídia social vão da surpresa ao elogio e à condenação. Alguns fãs consideraram as fotos “de partir o coração”. Vieram as inevitáveis comparações com Michael Jackson. Mas muitos, como miss.problematic, foram à seção de comentários para declarar apoio: “Ela continua linda e superdoce”. 

Kim certamente não é a primeira celebridade negra a sofrer severo escrutínio por causa da aparência. A cantora britânica de soul Mica Paris criticou no Daily Mail artistas como Beyoncé e Jennifer Lopez, que parecem “ter entrado no creme de clareamento”. Mesmo Sammy Sosa, quando perguntaram sobre seu tom mais claro de pele em 2009, admitiu na Univision que aplicava creme cosmético à noite, enfatizando, porém, que não era “racista”. 

Depois que uma sua foto alterada e nada lisonjeira circulou no Twiter em janeiro, Lil’ Kim tuitou uma resposta que começava com “O ódio é tão real...”.

Depois que uma sua foto alterada e nada lisonjeira circulou no Twiter em janeiro, Lil’ Kim tuitou uma resposta que começava com “O ódio é tão real...”. Foto: Divulgação

Lil’ Kim, no entanto, parece atrair inusual inspeção sobre sua imagem, com um longo histórico de comentários na cola de suas cirurgias cosméticas e novos visuais. Em entrevista à Newsweek em 2000, a rapper abriu o jogo sobre como administra a cambiante aparência: 

“Tenho e sempre terei baixa estima. Os caras viviam me traindo com mulheres estilo europeu, aquelas de longos cabelos, lindas, que me faziam pensar: ‘Como posso competir com isso?’. Ser uma garota negra média não bastava.” 

E os implantes?

“Essa cirurgia foi a maior dor que já senti na vida”, diz Kim, “e as pessoas fazem uma tempestade dela. Brancas passam por esse tipo de cirurgia todos os dias. Eu fiz para ficar como gostaria de ser vista. O corpo é meu.”

Não é a primeira vez que a rapper “Magic Stick” defende o corpo em público. Depois que uma sua foto alterada e nada lisonjeira circulou no Twiter em janeiro, Lil’ Kim tuitou uma resposta que começava com “O ódio é tão real...”. E terminava convidando os incomodados a beijar-lhe o traseiro. / Tradução de Roberto Muniz