Por que assistir TV pode ser bom para as criancinhas

Gemma Taylor - O Estado de S.Paulo

Após assistirem a um programa de televisão infantil educativo, crianças em idade de andar conseguem contar até cinco e podem aprender a ler um mapa simples exibido no programa

A repetição ajuda as crianças a armazenarem representações mais detalhadas da informação em sua memória

A repetição ajuda as crianças a armazenarem representações mais detalhadas da informação em sua memória Foto: Ian Turk/ Creative Commons

Praticar o alarmismo sobre os efeitos negativos de assistir TV para crianças não é novidade. Mas na correria de nossas vidas é cada vez mais tentador deixar os filhos assistirem televisão por meia hora, mais ou menos, enquanto você se arruma, se lava, faz telefonemas, paga suas contas ou simplesmente tira um momento para relaxar.

Apesar do prevalecimento de programas de TV que têm como alvo criancinhas, a Academia Americana de Pediatras desencoraja a exposição à televisão de crianças com menos de 2 anos, e recomenda que essa exposição se restrinja a menos de uma a duas horas, depois disso. Novas pesquisas mostraram, contudo, que após assistirem a um programa de televisão infantil educativo, crianças em idade de andar conseguem contar até cinco e podem aprender a ler um mapa simples exibido no programa.

Má reputação. Em sua declaração de política de 2011, a Academia Americana de Pediatras reportou que assistir televisão estava associado a uma redução geral das interações entre pais e filhos e de brincadeiras criativas de crianças, quer o televisor estivesse no primeiro ou no segundo plano. A televisão em si não oferece uma situação de aprendizado ideal para crianças.

Sabemos que crianças de até três anos de idade exibem um déficit de vídeo - isto é, elas aprendem menos da televisão do que de uma interação ao vivo. Isso deixa claro, portanto, que a exposição de crianças à televisão deve ser moderada.

Quando lhes são oferecidos programas de televisão, as crianças se defrontam com uma tarefa de transferência, isto é, que elas precisam transferir o que aprendem de uma tela de televisão 2D para o mundo 3D. A qualidade de informação visual e social mais pobre apresentada na TV pode levar a uma representação menos detalhada da informação na memória das crianças e dificuldades subsequentes para transferir a informação aprendida para o mundo real.

Informações visuais como exemplos de tamanho e profundidade são reduzidas na tela de televisão 2D em comparação com o mundo 3D. Da mesma maneira, em contraste com uma situação social do mundo real, um ator ou personagem na televisão não pode responder ao que a criança está contemplando, dizendo ou fazendo num dado momento. Caracterizar o déficit de vídeo como um problema de transferência é útil para compreender como apoiar o aprendizado de crianças com a televisão.

Ajudar crianças a aprenderem com a televisão. Ainda há esperança para programas infantis educativos na TV. Os produtores de televisão infantil e os pais podem empregar algumas técnicas para melhorar o aprendizado da TV e apoiar a transferência de conhecimento de crianças para o mundo real. Uma razão porque crianças com frequência pedem para assistir várias vezes aos mesmos programas de TV é que elas aprendem melhor quando repetidamente expostas à mesma coisa.

A repetição dentro de um programa de TV, como repetir sequências ou palavras novas, ou assistir repetidamente ao mesmo programa durante alguns dias, pode melhorar o aprendizado, a memória e a transferência da informação para o mundo real das crianças.

Além disso, quanto mais familiar o personagem de TV, é mais provável as crianças aprenderem de um programa de televisão com esse personagem. A repetição ajuda crianças a armazenarem representações mais detalhadas da informação em sua memória.

Assistir ao mesmo programa infantil de TV com os filhos pode ser tedioso para os pais, mas é benéfico para os filhos. 

A interatividade é fundamental. Tornar a TV infantil uma atividade interativa também é benéfico para o aprendizado das crianças e a sua posterior transferência do conhecimento para o mundo real. Os programas de televisão voltados para crianças com 2 anos e mais como "Dora, a Aventureira" e "As Pistas de Blue" tentam promover uma interação social entre a criança e o personagem de televisão ao fazer os personagens olharem diretamente para a câmera, e usar perguntas e pausas para dar tempo para as repostas das crianças.

As crianças são mais propensas a compreender o conteúdo de um programa de televisão infantil quando elas respondem às perguntas interativas de um personagem. Em programas como "Dora, a Aventureira", as respostas de feedback de personagens de televisão a crianças se limitam a coisas como "bom trabalho", e "está certo". Assistir televisão junto com seus filhos e dar-lhes um feedback melhor a suas respostas dará aos pais a oportunidade de apoiar melhor o aprendizado das crianças com a televisão.

Portanto, sim, a TV infantil tem o potencial de ser educativa para seus filhinhos. Mas nem todos os programas de TV infantis são iguais. Enquanto alguns oferecem uma boa plataforma de aprendizado para crianças novas, outros são mais adequados para fins de entretenimento apenas. Assistir TV com seus filhos novinhos e tornar a experiência mais interativa pode reforçar seu valor educativo.

A autora é pesquisadora associada no ESRC (International Centre for Language and Communicative Development) na Universidade Lancaster na Inglaterra

Tradução de Celso Paciornik