Para frear cópias, estilista cria vestido de noiva com certificado de autenticidade

Júlia Tibério - O Estado de S.Paulo

Mercado de noivas cresce em dois extremos, o dos vestidos artesanais, feitos sob medida e o das cópias, quase descartáveis, com modelos pirateados

Copiada por muitos, a estilista Emannuelle Junqueira criou certificado de autoria

Copiada por muitos, a estilista Emannuelle Junqueira criou certificado de autoria Foto: Divulgação

A estilista Emannuelle Junqueira diz que nunca sonhou com um príncipe encantado ou um casamento com toda pompa e glamour. Seu conto de fadas sempre teve ares mais modernos. Nada de vestido-bolo, festa para centenas de pessoas ou o que ela chama de “luzes azuis”. Emannuelle preferiu casar no campo, com um modelo fluido e suave desenhado por ela mesma. Alguns anos depois, criou a sua marca própria oferecendo justamente vestidos assim, mais low profile. “O meu vestido foi o ponto de partida, depois algumas amigas começaram a pedir, mas levou um certo tempo até eu fundar a marca”, conta a estilista. Atualmente a grife homônima tem três linhas: a exclusiva, em que Emannuelle monta a moulage no corpo da cliente (já na primeira visita e antes mesmo de qualquer croqui) e leva no mínimo seis meses para ficar pronto; a customizada, que tem 30 modelos para as mulheres se inspirarem e pedirem pequenos ajustes como troca de tecidos ou renda e demora, em média, quatro meses para ficar pronto; e a off-white, que fica em exposição no seu ateliê nos Jardins, em São Paulo, e é só chegar, provar e levar para casa. "Estudei bastante até ter certeza de que o mercado tinha espaço para algo assim. E acertei. Hoje percebo que cobri um rombo e que atendo mulheres que antes não tinham onde comprar o sonhado vestido de noiva".

Low-profile na medida, o estilo de Emannuelle causa desejo imediato em noivas modernas

Low-profile na medida, o estilo de Emannuelle causa desejo imediato em noivas modernas Foto: Divulgação

Hoje, ela vende cerca de 270 vestidos por ano e o preço dos modelos varia de 2 a 20 mil reais. O seu estilo está tão em alta agora, que Emmanuele, assim como outros grandes estilistas, passou começou a ser copiada. Para tentar frear a pirataria, ela está desenvolvendo um documento em que certifica o número de série de cada vestido, comprova que ele foi feito artesanalmente com os melhores tecidos e pedrarias e que é original. É um certificado de autenticidade. "Claro que essas imitações, quando examinadas de perto, deixam muito a desejar, porque não tem a mesma qualidade que os vestidos que eu faço. Mas mesmo assim, acho que colocar esse número de série é um jeito de deixar minha cliente mais tranquila, de assegurar que ela está comprado algo que foi feito especialmente para ela", diz.

Além disso, o vestido virá numa caixa desenhada por uma artista plástica belga. "A minha ideia é que o vestido de noiva deixe de ser aquela coisa para um dia na vida e que se torne como uma peça de decoração. O ritual de tirá-lo da caixa e colocá-lo para tomar sol, por exemplo, é muito gostoso", explica. Toda a venda é feita exclusivamente em seu ateliê. Porém, nos planos da estilista para os próximos meses, está a venda de modelos do prêt-à-porter  no Rio de janeiro em uma multimarcas, ainda indefinida.

Samuel Cirnansky é mais um nome do mundo fashion que fez carreira no mercado de casamento. O estilista, figurinha carimbada na São Paulo Fashion Week, diz que vende em média de 130 a 150 vestidos de noiva por ano, todos feitos sob medida e custando a partir de 12 mil reais. "No meu ateliê ofereço a chance de a noiva escolher tudo do jeito que sonhou: renda, tecido, cor, bordado...", diz. Samuel também acredita que cada vez mais as mulheres procuram fazer os vestidos no Brasil, por uma questão de segurança. "Aqui, elas podem provar os vestidos 4 ou 5 vezes, até ter certeza de que tudo está perfeito", diz. Ao contrário do DNA relax de Emannuelle, a marca registrada de Samuel é a noiva sexy. Suas criações tem muito tomara que caia, recortes, transparências e uma certa dramaticidade.

Para o estilista Sandro Barros, queridinho das blogueiras e socialites de São Paulo, o valor desembolsado para ganhar um modelo dos sonhos é ainda maior. "Meus vestidos começam em 18 mil reais e, aí, o céu é o limite", brinca. Sandro é o nome perfeito para quem quer um vestido digno de conto de fadas, mas com uma pegada mais atual. Ele mistura véus compridérrimos com pedraria colorida, saias superarmadas com decote minimalista e por aí vai. Um modelo de Sandro leva mais ou menos 8 meses para ficar pronto e ele avisa. Diferentemente dos dois outros, a produção do estilista é bem menor. "Faço mais ou menos 50 vestidos por ano. Meus modelos tem muitos detalhes bordados à mão, e só consigo assegurar essa qualidade alta se a produção for pequena", explica. Se ele acha que ainda existe mercado para preços assim altos e produção artesanal? "Claro que sim! Acredito que estamos entrando numa era de extremos, ou se paga muito por algo exclusivo e de altíssima qualidade ou pouco por algo quase descartável. Acho que logo não sobrará espaço para o meio termo." 

Sandro Barros entende tão bem a mente de suas noivas que as acompanha até no emagrecimento

Sandro Barros entende tão bem a mente de suas noivas que as acompanha até no emagrecimento Foto: Divulgação