O silêncio de Beyoncé

Jorge Grimberg - O Estado de S.Paulo

Capa da Vogue América, Beyonce não dá entrevistas há mais de um ano. Jorge Grimberg analisa a questão

Capa da edição de setembro de 2015 da Vogue américa: sem entrevista

Capa da edição de setembro de 2015 da Vogue américa: sem entrevista Foto: Divulgação

A Vogue América de setembro é a maior publicação impressa de moda nos dias de hoje. Com 832 páginas e Beyoncé na capa em 2015, a edição especial direciona o mercado global para o outono inverno que se aproxima com o aval da editora-chefe Anna Wintour. As estrelas da capa são sempre mulheres que estão no topo. Em 2014, a escolha de três top models da "geração Instagram" juntas - Joan Smalls, Cara Delevingne e Karlie Kloss - foi uma aposta genial, que afirmou o compromisso da revista em migrar para a era digital. 

Em anos anteriores, a atriz Jennifer Lawrence (então nova queridinha de Hollywood) e a cantora Lady Gaga protagonizaram a edição. O ensaio de capa sempre vem acompanhado com uma grande reportagem que revela a intimidade das estrelas em destaque. Não somente em setembro, mas em todos os meses, um jornalista convive com a celebridade e relata os detalhes da convivência.

A revista já levou nós leitores, por exemplo, ao rancho de Nicole Kidman na Austrália e ao apartamento nova-iorquino de Sarah Jessica Parker. Também invadimos o casamento de Kate Moss e conversamos com Jennifer Anniston sobre Angelina Jolie. Conhecemos a família de Lady Gaga... Enfim, Anna Wintour nos conduz até aonde as redes sociais não chegam e com uma roupagem, digamos, sofisticada.

Um dos fatores que mantém a editora no poder é sua capacidade de criar conteúdos realmente inéditos, relevantes e interessantes. Em um momento em que o poder das revistas é questionado, o ponto de vista glamouroso de Anna ainda hipnotiza. Porém, algo mudou na edição de setembro deste ano. A estrela da capa, Beyoncé, não disse uma palavra sequer. 

Ela aparece em duas sessões na revista: primeiro, em uma foto com o estilista Riccardo Tisci, no editorial Forces of Fashion, e depois em uma crônica da escritora Margo Jefferson, acompanhada de um novo ensaio fotográfico. Faz um ano que Beyoncé não se pronuncia em entrevistas. Nos seus posts no Instagram, ela raramente usa legendas. 

Muitas hipóteses surgem daí. Afinal, como a pessoa mais famosa do mundo consegue manter o silêncio? Em um tempo em que todos temos espaço público para expressar nossas ideias, fica uma linha nebulosa entre o que é arte, literatura ou apenas exposição gratuita sem profundidade. Beyoncé é uma grande artista. Seu trabalho é de uma qualidade nunca antes vista e diz muito sobre seus valores pessoais. Ela revela em suas letras sua visão sobre o casamento, sexo, família, amor, amizade e privacidade. Precisa dizer mais? 

Talvez a entrevista atrapalhe a mensagem de seu trabalho. Diferente dos grandes ícones das redes sociais, que são pessoas focadas em transformar a sua vida em um lifestyle e espalhar os seus hábitos, costumes e gostos em diferentes mídias, ser Beyoncé provavelmente é só para ela mesma. E talvez o silêncio seja a melhor forma de manter o mito vivo.