Morre no Rio o estilista Guilherme Guimarães, ícone da alta costura nos anos 1960 e 70

Fernanda Nunes - O Estado de S. Paulo

Ele estava internado para tratamento de câncer no fígado; estilista assinou figurinos no teatro e no cinema, como em 'Terra em Transe', de Glauber Rocha

RIO - Morreu na madrugada deste sábado, 24, véspera de Natal,  o estilista Guilherme Guimarães, o Gui-Gui, como foi batizado pelo colunista Ibrahim Sued, aos 76 anos. Ele estava internado no Hospital da Lagoa, na zona sul da cidade, onde se tratava de um câncer no fígado. O estilista foi ícone da alta costura carioca nos anos 1960 e 70, quando vestiu socialites como Carmem Mayrink Veiga e Lúcia Flecha de Lima. 

Estilista Guilherme Guimarães

Estilista Guilherme Guimarães Foto: Rogério Assis/Estadão

No cinema, foi responsável pelo figurino de Danuza Leão no filme "Terra em Transe", de Glauber Rocha. No teatro, assinou figurinos de Tônia Carrero. "O mais importante foi o da peça "Constantina", que lhe rendeu inclusive prêmios. Outras estrelas foram vestidas em cena por ele, como Simone, Gal Costa, Marília Pêra, Rosita Thomáz Lopes, Célia Biar, Vera Fisher, e também astros, como Paulo Autran", descreve a colunista Hildegard Angel, em seu blog. 

Hildegard e Ruth Joffily escrevem a biografia de Guimarães, "Memórias de um costureiro", que, segundo a colunista, esperava lançar com ele ainda vivo. Ela conta que, no último ano, o estilista não pode trabalhar muito. Sem dinheiro, teve que recorrer à rede pública de saúde para se tratar do câncer.