Michael Kors irá comprar a Jimmy Choo por 1,2 bilhões de dólares

Alex Schiffer - Washington Post

Acordo final só será fechado no último trimestre de 2017

A Michael Kors é uma das maiores grifes do 'mercado de luxo acessível'

A Michael Kors é uma das maiores grifes do 'mercado de luxo acessível' Foto: Spencer Platt/Getty Images/AFP

A Michael Kors anunciou nesta terça, 25, que fechou o acordo para comprar a loja de sapatos de luxo britânica Jimmy Choo por 1,2 bilhões de dólares. Como parte do contrato, que será assinado até o ultimo trimestre de 2017, os acionistas da grife do Reino Unido receberão prêmio de 36,5% sobre o valor das ações que tinham antes da divulgação da venda.  

A marca de sapatos anunciou que estava à venda em abril por causa da entrada de seu maior acionista, a JAB Holding, no mercado de alimentos. A grife foi fundada nos anos 1990 e tem como seu principal produto sapatos de salto e acessórios, que são vendidos majoritariamente em Nova York e Paris. Celebridades, incluindo a Princesa Diana, ajudaram a torná-la famosa. 

"Jimmy Choo é conhecida mundialmente pelo glamour e pelos calçados fashionistas", declarou John D. Idol, diretor executivo da Michael Kors, em comunicado. "Acreditamos que ela está preparada para um crescimento significativo nos próximos anos e nossa empresa está empenhada em apoiar o forte patrimônio que a marca construiu nas últimas duas décadas." 

A Michael Kors é considerada um dos maiores nomes do mercado de luxo acessível, mas vem lutando contra a queda nas vendas nos últimos anos. A grife tentou investir no mercado online e reduzir a oferta nas lojas de departamento, para aumentar o valor dos ítens. Em maio, a empresa anunciou o fechamento de 125 lojas. Há um ano, suas ações estavam cotadas em mais de 50 dólares. Nesta terça, 25, o preço estava em 35 dólares. 

O acordo foi anunciado meses após a Coach, seu maior concorrente, comprar a Kate Spade, na esperança de que as duas dominassem seus segmentos no mercado. A Coach também adquiriu a grife de calçados Stuart Weitzman em 2015.