Melania Trump e seu chapéu branco

Vanessa Friedman - The New York Times

Primeira dama norte-americana usou inusitado acessório para recepcionar Emmanuel e Brigitte Macron na Casa Branca

Chapéu foi feito sob medida para Melania Trump

Chapéu foi feito sob medida para Melania Trump Foto: AP Photo/Evan Vucci

Talvez Melania Trump seja realmente a heroína de sua própria história. De que outra forma devemos interpretar sua decisão de usar um chapéu branco de abas largas em uma terça feira de manhã para receber o presidente francês Emmanuel Macron e sua espos Brigitte quando eles chegaram à Casa Branca?  

Internautas tiveram interpretações variadas obre o look. Alguns viram Beyoncé (mas as pessoas enxergam Beyoncé em tudo). Um usuário do Twitter escreveu: "Não estou depreciando ninguém, mas porque ela está parecendo Carmen San Diego interpretando a Beyoncé no clipe de Formation?" 

 

Outros apontaram semelhança com o figurino de Jude Law na série The Young Pope. Teve também quem lembrou de Olivia Pope, de Scandal

A última é a comparação mais instrutiva, como também divertida. Quando Olivia usa um chapéu branco, que também combina com um casaco da mesma cor, é sempre para demonstrar que ela faz parte do time dos "bonzinhos". 

Seria o mesmo caso de Melania? 

Afinal de contas, segundo o dicionário norte-americano Merriam-Webster, uma das definições de "chapéu branco" é "aquele que é admirável e honrado" e também "um símbolo de bondade". Na iconografia Western, os caras bons usam chapéus brancos e os vilões, preto. 

É possível que ela não esteja ciente de tudo isso e apenas tenha gostado da ideia de usar o acessório. Exceto que ela tem uma tradição de usar terninhos brancos para mandar mensagens.

Perceba que Melania decidiu usar branco - cor associada com os direitos das mulheres por causa do movimento sufragista - em seu primeiro compromisso do Estado da União, que coincidiu em ser sua primeira aparição pública após o escândalo do presidente norte-americano envolvendo atriz pornô Stormy Daniels. 

E o acessório usado na terça, 24, foi feito sob medida, encomendado por seu stylist ocasional Herve Pierre, para combinar com um conjunto Michael Kors. Mas, caso você esteja se perguntando, não foi o mesmo conjunto Michael Kors que ela usou em Israel durante sua primeira viagem ao exterior com o marido, embora sejam parecidos. 

Mas, voltando ao chapéu. Não foi um acessório acidental.

Brigitte Macron de Louis Vuitton e Melania de Givenchy

Brigitte Macron de Louis Vuitton e Melania de Givenchy Foto: Tom Brenner/The New York Times

O simbolismo incrustado em cada parte da primeira visita de um estadista na administração Trump não escapou nem dos norte-americanos nem dos franceses. 

Aparentemente, Brigitte Macron enfrentou a ocasião mantendo uma unidade de estilo. O casaco rosa vibrante que ela usou em sua chegada, o amarelo de Mount Vernon e o vestido branco de terça são Louis Vuitton, promovendo então uma grife francesa e diminuindo os possíveis comentários que poderiam ter sobre suas roupas. 

Melania, entretanto, usou uma boa quantia de marcas norte-americanas e francesas. No dia anterior ao conjunto Michael Kors, por exemplo, escolheu uma capa preta Givenchy, sapatos Louboutin e bolsa Dior, todas grifes do país dos Macron, combinados com um cinto Ralph Lauren, estilista dos Estados Unidos que também fez seu look alá Jackie Kennedy para a cerimônia de posse. Até agora, suas escolhas parecem bem diplomáticas. 

Era como se ela, embora reconhecesse a necessidade de uma visibilidade maior, ela ainda quisesse se manter firme. Ela se molda às exigências de seu papel atual, mas apenas até certo ponto.

Na verdade, a linha mais perceptível de suas escolhas de moda até agora, que se conectam à imagem que ela tem lentamente criado desde que seu marido assumiu o cargo, é o preço alto das roupas, a silhueta descomplicada, vagamente militar, e o fato de que, qualquer que seja a mensagem que ela esteja querendo passar, ela parece ter suas próprias prioridades fora da agenda de compromissos estatais.