Marca rompe com agência por maltratar modelos

EFE - O Estado de S.Paulo

Balenciaga encerra contrato com 'Madia & Ramy' depois da denúncia do agente de casting James Scully

Foto tirada no desfile de verão 2016 da Balenciaga..

Foto tirada no desfile de verão 2016 da Balenciaga.. Foto: AFP PHOTO / PATRICK KOVARIK

A Balenciaga rompeu o contrato com a agência 'Madia & Ramy' por ter feito com que modelos esperassem três horas no escuro para o casting do desfile que a grife irá realizar domingo, 5, na Semana de Moda em Paris. A controvérsia surgiu terça-feira, 28, depois de James Scully, diretor de casting americano, acusou a agência através do Instagram de ter um comportamento ‘sádico e cruel’.

Scully disse que 150 modelos que foram fazer um casting para o desfile da grife tiveram que esperar no escuro durante três horas em uma escadaria, quando os funcionários saíram para comer. Eles fecharam as portas e apagaram as luzes - as meninas ficaram apenas com o celular como fonte de luz. 

O agente também mencionou a Hermès e a Elie Saab, que trabalham com a Madia & Ramy. A Lanvin foi acusada de não querer mulheres negras no casting. 

 

So true to my promise at #bofvoices that I would be a voice for any models, agents or all who see things wrong with this business I'm disappointed to come to Paris and hear that the usual suspects are up to the same tricks. I was very disturbed to hear from a number of girls this morning that yesterday at the Balenciaga casting Madia & Ramy (serial abusers) held a casting in which they made over 150 girls wait in a stairwell told them they would have to stay over 3 hours to be seen and not to leave. In their usual fashion they shut the door went to lunch and turned off the lights, to the stairs leaving every girl with only the lights of their phones to see. Not only was this sadistic and cruel it was dangerous and left more than a few of the girls I spoke with traumatized. Most of the girls have asked to have their options for Balenciaga cancelled as well as Hermes and Ellie Saab who they also cast for because they refuse to be treated like animals. Balenciaga part of Kering it is a public company and these houses need to know what the people they hire are doing on their behalf before a well deserved law suit comes their way. On top of that I have heard from several agents, some of whom are black that they have received mandate from Lanvin that they do not want to be presented with women of color. And another big house is trying to sneak 15 year olds into paris! It's inconceivable to me that people have no regard for human decency or the lives and feelings of these girls, especially when too too many of these models are under the age of 18 and clearly not equipped to be here but god forbid well sacrifice anything or anyone for an exclusive right? If this behavior continues it's gonna be a long cold week in paris. Please keep sharing your stories with me and I will continue to to share them for you. It seems to be the only way we can force change and give the power back to you models and agents where it rightfully belongs. And I encourage any and all to share this post #watchthisspace

Uma publicação compartilhada por james scully (@jamespscully) em

"Fiel à minha promessa no #bofvoices que eu seria uma voz para todas as modelos, agentes ou todos que vêem as coisas erradas neste negócio, fiquei decepcionado ao vir para Paris e descobrir que os suspeitos de costume continuam fazendo os mesmos truques. Fiquei muito perturbado ao ouvir de algumas garotas nesta manhã que ontem, durante o casting da Balenciaga, a 'Madia & Ramy' (abusadores frequentes) realizou um casting em que fizeram mais de 150 garotas esperar em uma escada e disseram-lhes que elas teriam que ficar lá por mais de três horas para serem vistas - e não podiam sair. Como de costume, eles fecharam a porta, foram almoçar e desligaram as luzes das escadas, deixando cada menina enxergando apenas com as luzes de seus telefones celulares. Este episódio não foi apenas sádico, cruel e perigoso, mas também deixou mais do que algumas das meninas com quem eu falei traumatizadas. A maioria das garotas pediu para ter suas participações no casting da Balenciaga canceladas, bem como nos da Hermès e Elie Saab, porque elas se recusam a ser tratadas como animais. A Balenciaga faz parte da Kering, que é uma empresa pública. Essas casas precisam saber o que as pessoas que contratam estão fazendo em seu nome - antes que um bem merecido processo judicial venha em sua direção. Além disso eu ouvi de vários agentes, alguns dos quais são negros, que receberam a orientação de Lanvin que eles não deveriam apresentar mulheres de cor no casting da marca. E outra grande casa está tentando contratar modelos de 15 anos em Paris! É inconcebível para mim que as pessoas não tenham respeito pela decência humana ou pelas vidas e sentimentos dessas meninas, especialmente quando muitas destas modelos são menores de 18 anos e claramente não equipadas para estarem aqui, mas qualquer coisa por um direito exclusivo, não é mesmo? Se esse comportamento continuar, será uma longa e fria semana em Paris. Por favor, continuem compartilhando suas histórias comigo e eu continuarei a compartilhá-las por você. Esta parece ser a única maneira que podemos forçar a mudança e dar o poder de volta às modelos e agentes, onde ele pertence legitimamente", escreveu no post.

Suas observações foram apoiadas por figuras como Joan Smalls, Kate Young e Helena Christensen. A Balenciaga disse em um comunicado que, depois de ciente dos "problemas que ocorreram no domingo, reagiu rapidamente e rompeu as relações com a agência".

A grife faz parte do grupo Kering, que abriu em 2009 a Fundação Kering, que combate a violência contra a mulher e tem reiterado o seu compromisso "para garantir condições de trabalho respeitosas a modelos ". 

Sophie Boilley, assessora de imprensa da Lanvin, disse que as alegações são completamente falsas e sem base alguma.