Lea T é eleita uma das mulheres que mudaram a moda italiana, segundo a Forbes

Mariana Belley - O Estado de S.Paulo

Modelo integra lista ao lado de nomes como Miuccia Prada, Anna Dello Russo e Franca Sozzani

Foto: Reprodução/Instagram

A modelo transexual Lea T foi considerada pela Forbes uma das 12 mulheres que mudaram a moda italiana. Segundo o site, 'em um país onde, para uma pessoa de fora, pode parecer que as mulheres só podem ser apreciadas por sua aparência ou habilidades maternas, estas doze mulheres conseguiram transmitir uma mensagem de coragem, inteligência e, em muitos casos, de empreendedorismo.'

Ao lado de Lea, integram a lista jornalistas, estilistas e PRs que, de acordo com a publicação 'causaram mudanças (na moda) ou escreveram histórias, que são sentidas tanto na Itália quanto em escala global'. São elas: Franca Sozzani, Patrizia Wassermann, Miuccia Prada, Carla Sozzani, Eva Cavalli, Noona Smith-Petersen, Anna Dello Russo, Gaia Trussardi, Silvia Venturini Fendi, Karla Otto.

Através de um comunicado oficial, Lea declarou: "Foi uma surpresa quando me avisaram que estava nesta lista. Nunca imaginaria que pudesse estar ao lado de nomes tão importantes e que admiro"

Lea T. nasceu em Belo Horizonte, em 1981, mas foi na Itália, mais precisamente em Milão, que despontou como modelo. A top, filha do ex-jogador de futebol Toninho Cerezo, chamou a atenção para a moda internacional em 2010, quando o estilista Riccardo Tisci a convidou para integrar a campanha da Givenchy, tornando-se, então, a primeira modelo transgênero a aparecer em uma grande campanha de moda. No final de 2014, Lea fez história mais uma vez ao ser nomeada embaixadora Global da Redken.