Fernando Torquatto explica as tendências de cabelo para o inverno

Anna Rombino - Especial para O Estado de S. Paulo

Vermelho, mechas estilo 'turtle' e o corte 'bob blunt' prometem fazer sucesso na estação mais fria do ano

O cabeleireiro Fernando Torquatto é embaixador da L'Oréal Professionnel Brasil e sócio do salão FT Studio

O cabeleireiro Fernando Torquatto é embaixador da L'Oréal Professionnel Brasil e sócio do salão FT Studio Foto: Instagram/@lorealprofbr

Com a chegada das temperaturas mais baixas, os looks ficam mais elaborados e a maquiagem ganha tons mais sóbrios. Ah, e também é a hora de mudar o cabelo. Para o inverno deste ano, o corte bob, que fez a cabeça da mulheres em 2016, ganha uma versão repaginada, mais curta e descolada. 

Além disso, é o momento de ficar ruiva. O vermelho é a principal tendência da estação e aparece em diversas tonalidades. As mais discretas podem investir em mechas cobre. Já as moderninhas vão arrasar com fios com brilho arroxeado.

Fernando Torquatto, cabeleireiro e embaixador da L'Oréal Professionnel Brasil, fala das principais modinhas do inverno abaixo. 

Vermelhos

"A cor aparece bem forte para a brasileira. Mechas acobreadas dão um visual dramático. Você pode combinar tons de vermelho (como um cereja com mechas), ou fazer a coloração apenas na ponta. O que está voltando também são os com reflexos arroxeados, que têm uma pegada mais moderna."

'Bob blunt'

"As pontas do long bob desapareceram. O corte é um pouco mais curto e tem uma base reta atrás. O repicado é feito sobre uma base quadrada." 

Mechas estilo 'turtle'

"Elas são feitas com alguns tons do casco da tartaruga, por isso o nome. Essas mechas transitam entre os caramelos, marrons e dourados. É lindo, enfeita a pele da brasileira.Quem tem cabelo mais escuro pode usar também, já que dá para fazer mechas de vários tons." 

Penteados despretensiosos

"A moda está pedindo para a mulher ser mais criativa e inventar. A brincadeira agora é fazer penteados bagunçados, como coques, tranças ou rabos. Um penteado muito estruturado se torna uma coisa careta às vezes."