Entenda as principais tendências da SPFW e veja como usá-las no dia a dia

Marília Marasciulo - O Estado de S.Paulo

Street couture, Califórnia anos 1980, camisaria, estampas e modelagens orientais e transparências foram destaques nas coleções, que prezaram principalmente por conforto

Street couture, Califórnia anos 1980, camisaria, estampas e modelagens orientais e transparências foram destaques na SPFW

Street couture, Califórnia anos 1980, camisaria, estampas e modelagens orientais e transparências foram destaques na SPFW Foto: Estadão


Nas coleções apresentadas na 41ª edição da São Paulo Fashion Week, que ocorreu entre os dias 24 e 29 deste mês, uma tendência se destacou: a busca por conforto. As modelagens se tornaram mais fluidas e volumosas, sem necessariamente serem oversized. Os sapatos baixos ou com saltos quadrados ganharam espaço e o streetwear (o jeans e o moletom da vida real) inspiraram muitos estilistas. Dentro deste universo, alguns elementos como a transparência, o japonismo e a camisaria apareceram com mais destaque nos 39 desfiles da semana. Entenda cada uma das principais tendências e veja como adaptá-las ao seu guarda-roupa.

Street couture

O street está em alta há algumas temporadas e nesta veio com mais força graças a um movimento internacional encabeçado pelo coletivo de moda francês Vetements. Pense em calças jeans meio sem corte e sem lavagem, moletons, tênis, chinelos estilo Rider. Mas tudo confeccionado com tecidos de primeira e com styling sofisticado. A ideia é pegar peças do dia a dia e alçá-las a um novo patamar. 

Na apresentação da marca À la Garçonne, o estilista Alexandre Herchcovitch, por exemplo, mostrou jaquetas de couro e moletons com volume. Já Vitorino Campos fez jaquetas jeans longas e casacos com glitter. Sim, o street permite brilhos e combinações de festa, como nas coleções de Patrícia Bonaldi e Reinaldo Lourenço. As jaquetas bomber, itens chave do estilo, foram campeãs de aparições nas passarelas e ganharam tecidos nobres e bordados. Por serem marcantes, vão bem se combinadas a peças mais pesadas e com cores lisas, como jeans ou vestido preto.

Califórnia girls 

And boys! Surfistas, praia, coqueiros e as cores do pôr do sol foram as inspirações para as coleções de marcas como Juliana Jabour, Salinas, Ellus e A. Brand. Algumas com um quê havaiano, outras com uma pegada meio vintage, tipo Califórnia anos 1980. "O destaque vai para a cartela de cores, que misturou tons pastel com pitadas de tons mais fortes, como laranja e azul”, diz a consultora de moda Bia Paes de Barros. 

Pantacourts, pantalonas com amarração na cintura e, de novo, a jaqueta bomber, são peças marcantes da tendência. Para o visual não ficar caricato e você não correr o risco de parecer deslocado na cidade com estampas de praia, o segredo é apostar no contraponto. Busque acessórios que fujam completamente do estilo. Por exemplo, vale combinar um vestido estampado com coqueiros com sapatos pesados ou botas e jaqueta de couro.

Camisaria

As camisas serviram de base para outras peças, como vestidos, nas coleções de grifes como Paula Raia, Iódice e Osklen. Também apareceram desconstruídas, deslocadas, com volumes improváveis e mangas que cobriam as mãos. "Está tudo menos preciso, com modelagens mais despojadas e amplas”, explica Bia. Os tecidos tradicionais deram lugar ou foram misturados a outros mais modernos, como o neoprene. 

Na passarela do estilista Wagner Kallieno as camisas surgiram em propostas variadas, como com a gola no ombro e os botões no braço. Básicas ou diferentonas, em forma de camisão vestido, elas combinam com sapatos masculinos e quase tudo - do jeans à calça de alfaiataria. No caso das peças da camisaria mais ampla, opte por saias ou calças com cortes mais secos e ajustados para equilibrar as proporções.

Oriental

Modelagem quimono, mangas amplas, estampas de cerejeiras, carpas, amarrações. O mood oriental foi visto nas coleções das grifes de moda praia Adriana Degreas, que se inspirou na Indochina, e Lenny Niemeyer, que trouxe a tendência de forma mais emblemática e literal, com fortes referências do Japão. Na temporada internacional de desfiles na Europa, o japonismo também foi marcante.

Nas vitrines deve aparecer principalmente em estampas. Desenhos florais e de dragões ganham tons escuros, do verde musgo ao dourado, algo novo e inusitado em biquínis e maiôs. Como usar de forma atual e sem caricatura? Aposte nas bombers (olha elas aí de novo!) de seda com prints orientais - Lenny fez uma chiquérrima e as araras das lojas de fast fashion nacionais devem receber as suas em breve. Na Europa a peça já é febre.

 

Transparência

Mais leves e pensadas para o dia, as transparências apareceram nos desfiles das marcas Lilly Sarti, Iódice, entre outros. “Elas foram a chave da sensualidade velada que a temporada mostrou”, afirma Bia. Em vez de decotes e minicomprimentos, o sexy agora está na languidez. Se no passado as transparências eram associadas principalmente a romantismo e lingeries, agora aparecem de uma forma mais casual e até minimalista. Para adotar a tendência no dia a dia, uma dica é optar por mangas transparentes em peças modernas que não revelam demais. 

*Com curadoria e seleção de peças da Stylight.