Documentário mostra cenas inéditas de McQueen e o apresenta para a nova geração

Redação - O Estado de S.Paulo

Longa-metragem foca no lado criativo e disruptivo do estilista morto em 2010

Alexander McQueen ficou famoso por suas criações excentricas 

Alexander McQueen ficou famoso por suas criações excentricas  Foto: REUTERS/Philippe Wojazer/Files

Já faz mais de oito anos desde que o mundo recebeu a notícia de que  o designer Alexander McQueen havia se suicidado no dia 11 de fevereiro de 2010. Agora, o documentário McQueen, recém-lançado no Festival de Cinema de Tribeca, apresenta um dos mais importantes estilistas da história à uma nova geração de fashionistas através de depoimentos de amigos e familiares, além de imagens nunca antes divulgadas. 

Dirigido por Ian Bonhôte e Peter Ettedgui, o filme visa preservar o legado do designer, focando no homem e não na marca - tanto que Sarah Burton, estilista da Alexander McQueen é citada apenas uma vez no longa -, contando sua história desde quando era estudante, até se tornar um ícone da indústria, passando por suas coleções mais memoráveis e a estreia na Givenchy. 

"Uma vez a cada geração você tem alguém como McQueen, que claramente tem aquilo que chamamos de genial e faz algo muito marcante com uma vida muito curta", explica Ettedgui ao portal Fashionista. "Embora nós nunca tenhamos trabalhado com moda, podemos ver claramente que o trabalho deste homem é extraordinário." 

As partes mais marcantes do documentário ficam com os vídeos cedidos pela família - e nunca antes mostrados. Imagens dele brincando, ou depoimentos de sua mãe, morta em 2011, o descrevendo como "menino meigo", mostram um lado carismático e não tão explorado do estilista.