Conservadores acreditam que a última capa da Vogue América é um ataque a Donald Trump

Redação - O Estado de S.Paulo

Edição que celebra os 125 anos da publicação é estrelada por Jennifer Lawrence

Apoiadores de Donald Trump acreditam que a capa de setembro da Vogue América é uma critica a ele

Apoiadores de Donald Trump acreditam que a capa de setembro da Vogue América é uma critica a ele Foto: Vogue América

O mês de setembro é considerado um dos mais importantes do calendário da moda porque, nele, as revistas começam a falar sobre as tendências do próximo ano. A próxima edição da Vogue América é ainda mais importante porque nela a revista celebra os seus 125 anos de história, com um ensaio protagonizado por Jennifer Lawrence. 

Porém, a capa que mostra atriz usando um longo Ralph Lauren em frente a Estátua da Liberdade não agradou os conservadores norte-americanos.

O editor do jornal norte-americano Breitbart,  John Carney, afirmou no Twitter que a imagem era uma ataque claro a Donald Trump, especificamente as suas propostas de leis de imigração, mas a publicação foi apagada. 

Em outra publicação, ele afirmou que eles teriam que "criar uma nova indústria cultural porque a 'mídia de oposição' não consegue nem fazer moda sem atacá-los."

O jornalista acredita que seja um ataque por causa da fala do jornalista  Jim Acosta, da CNN, recitou o poema que está gravado na base da Estátua da Liberdade, afirmando que esse deveria ser a referência para leis imigratórias. 

Entre os internautas que responderam o jornalista, afirmando que as fotos foram tiradas antes do ocorrido, a escritora britânica J.K. Rowling também mandou sua mensagem. 

"Talvez nunca possamos saber quantas mulheres decentes e trabalhadoras foram radicalizadas em milícias socialistas depois de uma rápida olhada nas páginas de outono da Vogue", escreveu.