Conheça a irmã caçula de Ana Hickmann, que é a nova top do Brasil

Carla Julien - O Estado de S.Paulo

Com beleza andrógina e assertividade de sobra, a modelo virou, aos 25 anos, a mais nova sensação do mundo da moda

Um rosto em especial vem chamando a atenção da turma da moda no Brasil... e fora também. As feições angulosas e nariz levemente adunco, cabelo liso cortado ora joãozinho ora em um chanel bob supermoderno, denotam altas doses de personalidade e sofisticação, com pitadas de androginia, a Isabel Hickmann. Como, Hickmann? Aí vem sempre a mesma pergunta: ela tem algum parentesco com Ana Hickmann? Apesar da aparência fisica não denunciar qualquer ligação com a ex-modelo e apresentadora, Isabel e Ana são irmãs. Enquanto Ana fez sucesso no universo fashion no final da década de 90 e início dos anos 2000, graças a seus traços perfeitos e beleza meio Barbie, Isabel encanta por outros atributos. 

Isabel está nas capas: ela é mais moderna que a irmã

Isabel está nas capas: ela é mais moderna que a irmã Foto: Divulgação

"Tive a adolescência de uma menina normal, sem grandes responsabilidades nas costas."

“Temos estilos diferentes, mas nossa maneira de ver a vida é muito parecida”, diz a neo top, nascida em Santa Cruz do Sul, no Estado do Rio Grande do Sul, no dia 10 de maio de 1989. Mesmo sonhando com a vida de modelo desde a infância - “sempre quis fazer o mesmo que a Ana” -, Isabel acabou começando tarde na carreira – em 2009, aos 20 anos -, levando em consideração os padrões atuais, em que as garotas dão seus primeiros passos na profissão ainda na adolescência. Hoje, a gaúcha de 25 anos, publicitária formada, divide a cena com garotas às vezes 10 anos mais novas que ela, sem crises.

 “Quando era adolescente, por volta dos 14 anos, queria muito ser modelo, mas meus pais não autorizaram, afinal, seria mais uma filha saindo de casa cedo para trabalhar longe. Acredito que foi a decisão certa, pois pude estudar, cultivar meus amigos e desfrutar da minha adolescência. Quando completei 20, o Alexandre (Corrêa), marido e empresário da Ana, junto com ela, me incentivaram a finalmente investir na carreira. Foi uma mudança grande na minha vida, mas uma das melhores que já aconteceram. Amo o que faço!”. Atualmente bate ponto nas passarelas do SPFW e Fashion Rio, aparece em capas de revista, arrasa em campanhas e editoriais de moda, nacionais e internacionais, e divide sua atribulada agenda entre São Paulo – Nova York – Londres.

Por ter inciado na carreira de modelo quando já tinha 20 anos de idade, conseguiu se formar em Publicidade e até trabalhar com isso. Como aconteceu a mudança de rumo na sua vida?

Quando comecei a carreira de modelo ainda cursava a faculdade. Conciliei os estudos e a moda durante um ano. O mais difícil dessa transição foi me acostumar à falta de rotina. Por estudar todos os dias e, antes de ser modelo, ter estagiado em agência de publicidade, foi difícil me acostumar à agenda "louca" desta carreira, com dias de trabalho intenso, e semanas mais calmas...  Para dar conta da faculdade precisava estudar em backstages de desfiles, nos castings e em estúdios fotográficos. Foi um começo bastante intenso! Precisei ir dosando e misturando esses dois lados. Hoje me dedico 100% à carreira de modelo.

O que você vê de bom e de ruim no fato de ter começado mais tarde na profissão de modelo?

Acredito que o bom de ter começado mais tarde foi desfrutar da minha adolescência e poder ter finalizado meus estudos. A adolescência é aquela fase confusa, em que erramos e aprendemos muito. Pude aproveitar bem esses momentos, que, com certeza, ajudaram a me tornar quem sou hoje. Meninas que começam muito cedo precisam se tornar adultas do dia para a noite. Muitas delas se veem sozinhas no mundo e, eventualmente, passam por dificuldades que nem sabiam que existiam. O ponto negativo, que não vejo como algo ruim, mas sim como um obstáculo que tive que superar, é a experiência que essas meninas adquirem com os anos. Elas chegam aos 20 (idade em que comecei) já superprofissionais.

Isabel Hickmann

Isabel Hickmann Foto: Divulgação

 Ter mais bagagem cultural e de vida te ajuda a encarar as dificuldades que encontra pela frente?

Com certeza. Como falei antes, vivenciei minha adolescência como uma menina "normal", sem grandes responsabilidades nas costas e me fortalecendo internamente para enfrentar o mundo em outro ritmo. Ter cursado Publicidade e Propaganda também foi bem importante. Na faculdade, eu estava no lugar do cliente que hoje me contrata para os trabalhos... Isso me ajuda a entender o que querem de mim. Também aprendi muito sobre arte, psicologia, finanças...

"A faculdade de Publicidade e Propaganda me ajudou a entender o que querem de mim como modelo. Também aprendi muito sobre arte, psicologia, finanças..."

O fato de você ser irmã de Ana Hickmann (ex-modelo e apresentadora) influenciou de alguma maneira sua decisão de ser modelo?

Influenciou bastante. Ela é a mais velha dos meus irmãos, sempre cuidou de todos nós e me ensinou tudo. É meu grande exemplo de mulher, profissional e ser humano.

Quando decidiu seguir a carreira de modelo, a Ana te apoiou?

Muito! Ela e o Alexandre me trouxeram para estudar em São Paulo, me apresentaram a Way Model, minha agência no Brasil. Sempre cuidaram de mim como se eu fosse filha deles.

Quais conselhos ela te deu e que você carrega até hoje?

A Ana sempre me ensinou que o profissionalismo vem acima de tudo. Desde cumprir os horários, até o comprometimento com o cliente e com a minha carreira também, além da importância de cuidar do corpo e da mente para sempre estar bem comigo mesma.

Você tem uma beleza diferente, moderna e até andrógina. Gosta do que vê?

Trabalho com beleza e acredito que tenho que ser a primeira a gostar de mim para que os outros também gostem. Tento me cuidar ao máximo para sempre estar bem, física e mentalmente. O que não gosto... dos meus pés!! Apesar de me segurarem nos trabalhos mundo afora (risos).

Como definiria seu estilo?

Despojado... De vez em quando libero meu lado punk. Mas também estou investindo em looks mais sofisticados, como uma calça com bom corte e camisa. Adoro cabelos mais curtos. Já raspei, usei curtinho...

Quais seus estilistas favoritos?

Entre os brasileiros, Alexandre Herchcovitch e Vitorino Campos. No meio internacional, adoro Francisco Costa, que, por acaso, também é brasileiro. (risos)

 Você está namorando?

Não.

Você acha que seu estilo intimida os homens?

Não sei! (Risos) Acho que se o homem tem uma atitude forte, o que me atrai, não ficará intimidado pela minha personalidade. Mas acredito que alguns se sintam intimidados, sim, por eu ser despojada e levar a vida de um jeito divertido.

"Acredito que alguns se sintam intimidados por eu ser despojada e levar a vida de um jeito divertido."

Onde você mora atualmente?

Em Nova York, mas já morei em Paris e Londres.

Quais as últimas campanhas que fez - nacionais e internacionais?

Nacionais, Alexandre Herchcovitch, Coven e Pernambucanas. Fora do Brasil, já fotografei com grandes profissionais, como Nick Knight e David Sims. Também tenho trabalhado como modelo de prova para a Calvin Klein.

Tem algum sonho profissional não realizado?

Participar de uma campanha de perfume. Acho mágico.

Que cuidados tem com a pele e com o cabelo?

No rosto uso sempre água termal, protetor solar e hidratante. Skinceuticals é minha marca favorita. Também costumo ir à dermatologista uma ou duas vezes ao ano. Como meus cabelos são superfinos, uso produtos apropriados, como os da Fekkai, e tomo vitaminas para fortalecer os fios.

Por falar em cabelo, você não tem medo de mudar, de ousar... Se precisasse radicalizar para um trabalho importante, qual seria seu limite?

Amo mudanças! Já estou louca pra cortar de novo, mas não tão curto. Se precisar, encaro qualquer corte. O meu limite é o que essa mudança vai trazer de benefício.

Resumindo: quais os pros e contras da carreira de modelo?

A pior parte é ficar longe da família. Acabei de ganhar um sobrinho e não o vejo crescer, apenas acompanho pela internet. E a melhor parte é descobrir o mundo, viajar, conhecer pessoas e culturas totalmente diferentes. A bagagem que estou construindo é o mais valioso.