Campanha da Saint Laurent é acusada de machismo

AFP - O Estado de S.Paulo

Fotos em que modelos aparecem com pernas cruzadas geraram revolta

Ativistas protestaram em frente à loja da Saint Laurent em Paris. Campanha da grife foi acusada de ser sexista. 

Ativistas protestaram em frente à loja da Saint Laurent em Paris. Campanha da grife foi acusada de ser sexista.  Foto: REUTERS/Philippe Wojazer

A nova campanha publicitária da grife Yves Saint Laurent, em que os modelos são retratadas em poses com pernas cruzadas, foi considerada degradante e gerou uma onda de reclamações na França na segunda-feira, 6. 

Dois anúncios que podem ser vistos nas ruas de Paris durante a Semana de Moda. Em um deles, uma jovem mulher com um casaco de pele, meia arrastão e salto alto sobre rodas aparece com as pernas abertas. No outro, a modelo, vestindo com um body e outro sapato que imita patins, se inclina sobre um banco, evocando uma posição considerada explicitamente sexual.

A frase ‘#YSL retire sua publicidade degradante’ repercutiu nas redes sociais. O órgão francês que regulamenta a publicidade alegou ter recebido cinquenta queixas de ‘imagens degradantes, mulheres-objeto e até mesmo incitação ao estupro. 

As modelos aparecem com pernas abertas nos cliques.

As modelos aparecem com pernas abertas nos cliques. Foto: AFP PHOTO / ERIC FEFERBERG e REUTERS/Charles Platiau

As autoridades anunciaram que vão tomar medidas sobre o assunto até sexta-feira, 10. O diretor da Autoridade Reguladora Profissional de Publicidade, Stéphane Martin, disse que a Yves Saint Laurent claramente violou as regras. "Eu não acho que as clientes da marca querem ser associadas a essas imagens". A entidade proíbe representações degradantes e humilhantes.

A associação feminista francesa "Osez ele feminisme" pediu a retirada dos anúncios. "Isso tem todos os elementos de uma publicidade sexista. Hipersexualização, conversão da mulher na imagem de objeto de submissão. Simbolicamente é muito violenta", disse a porta-voz Raphaelle Remy-Leleu.

Procurada pela reportagem, a Saint Laurent não quis se pronunciar sobre o assunto.