Boné de campanha de Donald Trump vira moda entre hipsters

Ashley Parker - O Estado de S.Paulo

A peça tem design vintage e traz o slogan do pré-candidato do Partido Republicano às eleições dos Estados Unidos, “Make America Great Again”

O boné de Trump caiu nas graças dos modernos de Williamsburg e Silver Lake

O boné de Trump caiu nas graças dos modernos de Williamsburg e Silver Lake Foto: New York Times

Bonés à moda antiga, de aba larga - alguns brancos e azuis, outros vermelhos e brancos - se tornaram um acessório obrigatório entre os moderninhos americanos. Trata-se do boné da campanha de Donald J. Trump, que traz o slogan “Make America Great Again” (Deixe a América Boa de Novo, em tradução livre). Usada pelo pré-candidato pela primeira em julho no Texas, a peça foi adotada desde então por hipsters de vizinhanças descoladas como Williamsburg, no Brooklyn, e Silver Lake, em Los Angeles, além de aparecer no armário do astro do futebol americano Tom Brady - sem falar nos partidários de Trump nos comícios.

“Fiquei realmente surpreso com o fato de que tenha virado moda”, disse Trump, em entrevista por telefone. “É o objeto fashion mais quente do momento”. Disponíveis em quatro modelos diferentes, os bonés custam 25 dólares no site de campanha de Trump e na loja da Trump Tower, em Nova York, onde se esgotaram em poucas horas. O apelo fashion da peça se deve em parte ao seu design propositalmente vintage e, em parte, à capacidade de representar o atual momento político do absurdo - uma espécie de circo, em que há 17 pré-candidatos à indicação do Partido Republicano.

Donald Trump usa a peça em comício: "É o acessório fashion mais quente do momento", diz ele

Donald Trump usa a peça em comício: "É o acessório fashion mais quente do momento", diz ele Foto: REUTERS/Rick

“Não tenho ideia de como explicar esse charme irônico do boné”, afirma Nu Wexler, porta-voz de política do Twitter, que recebeu um deles de presente de um colega. “É um modelo enorme, que as pessoas usariam em um clube de golfe no sul da Flórida em 1989. Sou liberal democrata e provavelmente discordo de Trump em todos os pontos, com exceção do financiamento das campanhas, mas respeito seu jogo no Twitter”. Louise Simpson, estudante do terceiro ano da Universidade de Chicago, estagiou na rede de televisão ABC e deu os bonés aos seus chefes quando terminou o trabalho. “É uma piada de que todo mundo participa. Inclusive o próprio Trump”, acredita ela. 

O democrata Brendon Martin encomendou a peça na noite do primeiro debate republicano e é só elogios para seu criador: “O cara é um gênio do marketing. Bastou que usasse o boné para que todos imediatamente conhecessem seu slogan”. Mas o acessório não é apenas uma brincadeira ou uma modinha. Em um comício recente de Trump na frente do Capitólio, em Washington, os bonés flutuavam como boias salva-vidas sobre o mar de eleitores. Muitos afirmaram que estavam usando a peça por apoiarem Trump e sua mensagem otimista - um eco da famosa frase de Ronald Reagan, “Let’s Make America Great Again”, na campanha presidencial de 1980.

E muita gente torce o nariz para a moda dos bonés de Trump. “Desde que ele profanou o panorama dos arranha-céus de Chicago com o seu nome em letras de 6 metros de altura na fachada de um prédio, está claro que o cara vive a vida com o Caps Lock ativado”, diz Tracy Sefl, consultora democrata e partidária de Hillary Clinton. “Por isso, cabe a vocês, hipsters, analisar se vale a pena usar o boné de Trump, que não será nada mais que uma moda passageira”. Ela não tem o boné.

Tradução de Anna Capovilla