Após fiasco na posse, Kátia Abreu surpreende com vestido de noiva

Giovana Romani - O Estado de S.Paulo

Depois de errar feio no look da posse, a ministra escolhe vestido de noiva clássico; Dilma fez opção correta, mas não demonstrou segurança

Casamento da ministra da Agricultura, Katia Abreu, prestigiado pela presidente Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer

Casamento da ministra da Agricultura, Katia Abreu, prestigiado pela presidente Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer Foto: Gustavo Froner/Divulgação

“Não tem noiva-spa comigo. Sou noiva-trabalho”, disse a ministra da Agricultura Kátia Abreu poucas horas antes de se casar, justificando sua presença no Senado para votar para a presidência da Casa. Ainda assim, pelo menos em termos de estilo, ela se encaixa no grupo das noivas tradicionais. Para oficializar a união com o engenheiro Moisés Gomes, Kátia subiu ao altar na noite do último domingo, 1, em Brasília, com um vestido inteiro de renda assinado pela estilista Wanda Borges, famosa por seus modelos de noiva. Uma criação da profissional, que só atende com hora marcada em seu ateliê paulistano, localizado no bairro dos Jardins, não sai por menos de 20 mil reais. 

Leia também:

Com um modelo clássico e chique, adequado à sua idade e ao seu corpo, Kátia estava elegante. E surpreendeu, sobretudo, depois de errar feio no look da posse da presidente, no início de janeiro, ocasião em que usou um vestido verde, arrematado por um cinto vermelho fino. A roupa logo virou assunto nas redes sociais e os internautas compararam a ministra a uma pamonha. No evento oficial, Kátia ainda exagerou na quantidade de acessórios ao misturar brincos grandes, colar, bracelete e relógio. Ao compor o visual de noiva, ela enxugou os excessos e corrigiu os erros: as mangas compridas de renda vazada, a silhueta marcada e o decote V do longo a valorizaram. Assim como o cabelo meio preso e os brincos de pérola discretos.

Convidada de honra do casamento, Dilma Rouseff também não errou. Tampouco fez bonito. O tom de roxo do vestido de crepe de seda é elegante, assim como o decote e os bordados em linhas verticais, que trazem um ponto de luz e dão a sensação de alongar a silhueta. A capa curta e transparente também tem sua dose de sofisticação e aparece como uma nova opção ao guarda-roupa da presidente, que sempre lança mão de trajes de mangas ¾ para esconder os braços. 

Em linhas gerais, trata-se de um vestido acertado e adequado, provavelmente escolhido para ser de madrinha (era essa a proposta inicial, mas por questões de segurança da presidente, ambas acharam melhor desistir da ideia). Ainda assim, sentada na primeira fila da cerimônia ou na foto posada ao lado dos noivos e do vice-presidente Michel Temer, Dilma não demonstra a segurança e a postura necessárias para ficar bem em qualquer que seja a roupa. 

Horas antes ela amargara a primeira grande derrota de seu novo mandato: a eleição do deputado Eduardo Cunha (PMDB - RJ) para a presidência da Câmara, que batera com larga diferença de votos o candidato oficial do Planalto, Arlindo Chinaglia (PT-SP). Em meio à pompa das bodas da ministra Kátia Abreu, Dilma passa por um momento de fragilidade. E isso não há cor de vestido capaz de disfarçar.

Detalhes do vestido de noiva de Kátia, que deixa a cerimônia observada por Dilma (ao fundo)

Detalhes do vestido de noiva de Kátia, que deixa a cerimônia observada por Dilma (ao fundo) Foto: reprodução Instagram

Dilma e Kátia Abreu no dia da posse: o vestido verde da ministra foi alvo de piadas nas redes sociais

Dilma e Kátia Abreu no dia da posse: o vestido verde da ministra foi alvo de piadas nas redes sociais Foto: ADMI489