A moda do cabelo colorido está de volta

Júlia Tibério - O Estado de S.Paulo

Dos tons pastel aos vibrantes, fashionistas e celebridades apostam em cores não convencionais

Kelly Osbourne

Kelly Osbourne Foto: Reprodução

Nos anos 80, ter cabelo colorido era sinal de rebeldia, de pertencer ao universo underground. Depois, a moda de pintar mechas de rosa, azul, lilás e verde virou coisa de adolescente, de quem queria se diferenciar do grupo, mostrar personalidade. Pois o que tinha sobrevivido apenas como uma mania teen agora virou papo sério no mundo da moda. Cada vez mais fashionistas e celebridades têm pintado os fios com cores não muito convencionais: rosa, azul, lilás, verde... A novidade é que os tons da vez são mais lavados do que os de antigamente, os fios com cara de desbotados são cool e os tons pastel são sua melhor opção para aderir ao visual. A cantora Katy Perry é das que já tentou de tudo e muda de cor quase uma vez por mês. Até o estilista brasileiro Reinaldo Lourenço embarcou na onda e, em seu último desfile (verão 2015), trouxe as madeixas cor-de-rosa para as passarelas.  

"Quando conversei com o Reinaldo, ele me disse que queria algo que lembrasse a mulher londrina, que gosta de se enfeitar e usar cores durante o verão", conta Ricardo Rodrigues, cabeleireiro responsável por criar a beleza do desfile. Depois de alguns dias pensando, a dupla se resolveu pelo cabelo com as pontas cor-de-rosa, que "são femininas, fresh e ao mesmo tempo underground", diz Ricardo.

O visual logo inspirou a turma da moda paulistana. "Fazia um tempo que queria colorir o cabelo, gostei do resultado", conta Giuliana Mesquita, repórter da Revista L'Officiel, com os cabelos recém pintados de cor-de-rosa. "Tentei algumas vezes pintar os fios com tintas que vendem na internet, dessas meio sem marca, mas a cor não pegou, porque meu cabelo é escuro e não queria descolorir", diz. A solução veio com a Hairchalk, da L'Oréal, que tinge até os cabelos mais escuros e apenas temporariamente: "Achei bem fácil de aplicar e dura umas quatro lavagens, o único problema é que o meu cabelo ficou meio duro", conta Giuliana. Quando a tinta vai embora, os fios voltam ao normal, como se nada tivesse acontecido.

Esse tipo de tintura também é a escolha das celebridades, pois dura pouco tempo (não dá tempo de enjoar) e não causa tantos danos quanto as definitivas. A tendência começou com celebridades americanas loiras, como Kate Bosworth e Lauren Conrad, que coloriram as pontas numa espécie de degradê ao contrário, que começa mais claro em cima e fica mais forte nas pontas. Logo depois, cantoras do cenário pop aderiram o movimento de um jeito mais ousado. Rita Ora preferiu apostar em mechas listradas de várias cores, Demi Lovato pintou todo o cabelo de azul e Katy Perry foi capa da Cosmopolitan Magazine com a cabeleira verde. Kelly Osbourne foi além e combinou os fios lilás com as laterais da cabeça raspada, numa tentativa de amenizar o efeito fofo da cor. 

Para quem quer investir no visual e acertar, o segredo é criar uma aparência delicada. Nada muito gritante. "Opte por uma técnica que pinte mechas bem fininhas, como se fossem reflexos, que se misturam com o seu cabelo natural. Esse efeito mesclado é mais natural e suave", afirma Ricardo Rodrigues. O cabeleireiro Celso Kamura pensa diferente e acha que ousar está liberado: "o bom dessas tintas temporárias é que você pode brincar como quiser. Cabelo todo, mechas, pontas, vale tudo!". E aí, vai encarar?

5 dicas para acertar na hora de pintar os cabelos:

- Escolha uma tinta temporária que não prejudica tanto o cabelo e dura mais ou menos quatro lavagens.

- Dê preferência aos tons pastel, que são a tendência do momento.

- Prefira fazer mechas finas, para que elas se misturem ao cabelo de cor natural e o resultado seja mais suave.

- Se a intenção for um visual candy mais discreto, opte pelo rosa.

- Faça em casa! O visual meio desbotado e não muito certinho é cool (a tintura temporária custa aproximadamente 70 reais e dura cerca de dez dias).