Vício não tem cura, diz médico

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

O psiquiatra Sabino Ferreira de Farias Neto, diretor da Clínica Maxwell, especializada em tratamento de dependentes de drogas e álcool, é taxativo: o alcoolismo não tem cura. Segundo ele, existe apenas a possibilidade de controle do uso da bebida. Farias Neto diz ainda que o alcoolismo é muito grave porque o álcool é depressor do sistema nervoso central, que leva a pessoa à dependência física e psíquica. Além disso, causa problemas sérios no organismo, sobretudo no fígado, como a cirrose. ?O mais grave é que não existem no Brasil e no mundo programas para combater o alcoolismo como existem políticas públicas para combater o cigarro?, continua o psiquiatra. Ele explica que uma pessoa que passa 24 horas viajando sem fumar pode não ter tremores nem qualquer mal físico. Mas se a pessoa for viciada em álcool, ela pode passar mal com tremores e sintomas da abstinência. Estatísticas mostram que 80% dos acidentes e crimes de trânsito no País estão relacionados a quem bebeu e dirigiu. Mesmo assim, o governo federal não cria nenhuma política para combater o alcoolismo. Há uma lei que proíbe a venda de bebida alcoólica para menores, mas ninguém proíbe o consumo.