Um ´suspirão´ sobe ao altar

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

Nunca entendi por que raios as mulheres precisam encarar o altar fantasiadas de suspiro. Um mega-suspiro. E purpurinado. É renda pra lá, tafetá pra cá, cetim aos baldes, brilhos sem fim, tudo amontoado numa instalação que lembra o doce de chantilly em tamanho gigante, cravejado de cristais Swarovski. Tanto pano, tanta ostentação, tanto dinheiro jogado fora... O sonho dourado das românticas não pode ser celebrado de maneira menos ?volumosa?? Um lindo - e limpo - longo branco não resolve a parada? ?Mas aí não é vestido de noiva, é um vestido qualquer?, as comprometidas revoltadas vão gritar. Tradição e elegância nem sempre são sinônimos. Que tal quebrar a regra para ficar linda? Troque os milhões de bordados por um detalhe bacana, as camadas pela ?secura?, as luvas por um bracelete, o peso pela leveza. Deixe a extravagância para o buquê e a tiara. Vire uma princesa em vez de um suspiro.