Um mal para todo o corpo

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

O álcool atua no sistema nervoso central, diminuindo a capacidade crítica, memória, visão, coordenação motora e reflexos. Se usado por um período prolongado, pode aumentar a ocorrência de doenças cardíacas, úlceras e até câncer. O álcool ainda aumenta a possibilidade de doenças no fígado, como cirrose, hepatite e câncer. Nos ossos, o uso prolongado de bebidas pesadas pode levar a uma diminuição da densidade, aumentando o risco de fraturas. Para os músculos também há prejuízos: a temperatura do corpo e o tônus muscular diminuem. As fases do metabolismo do álcool em adultos são absorção, distribuição, metabolismo e eliminação. Depois de absorvido, é transportado pelo sangue para todos os tecidos que contêm água. As maiores concentrações de álcool encontram-se no cérebro, fígado, coração, rins e músculos. Cerca de 90 a 95% do álcool ingerido é metabolizado no fígado por enzimas especiais e eliminado pela urina. Cinco por cento é eliminado por meio da respiração, transpiração e salivação. Como as mulheres possuem menos água no corpo que os homens, metabolizam o álcool mais rapidamente, apresentando os efeitos de forma mais intensa.