STF nega recurso e Abdelmassih continuará preso

Mariângela Gallucci - O Estado de S.Paulo

Defesa do médico diz que imprensa está fazendo ?massacre? contra ele

O médico Roger Abdelmassih vai continuar preso. A ministra Ellen Gracie, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou na noite de ontem a liminar no habeas corpus impetrado no sábado pela defesa. Tido como um dos mais renomados especialistas em reprodução assistida do País, Abdelmassih está preso desde o dia 17 sob a acusação de ter cometido 56 estupros. Para negar o pedido de liminar, a ministra baseou-se numa súmula do STF que prevê requisitos processuais para a concessão desses pedidos. A súmula 691 estabelece que o STF não deve atender aos pedidos quando a instância inferior da Justiça já negou a liminar e ainda não julgou o mérito do habeas corpus, caso de Abdelmassih. Na semana passada, a Justiça negou duas liminares em habeas corpus impetrados pela defesa do médico - uma no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) e outra no Superior Tribunal de Justiça (STJ). "Teremos de aguardar o julgamento do mérito", disse o criminalista José Luís Oliveira Lima, que defende Abdelmassih. Ontem, o defensor se insurgiu contra o que chamou de "massacre" da imprensa. "O que estão fazendo com o dr. Roger é prejulgamento, inadmissível num Estado democrático de direito." Para ele, "a mídia tenta criar um clima de terror". Diante da decisão do STF, a polícia deve transferir hoje o médico da carceragem do 40º Distrito Policial (Vila Santa Maria), na zona norte da capital, para uma penitenciária em Tremembé, no interior do Estado. A previsão é de que o julgamento do mérito do habeas corpus pelo TJ-SP leve pelo menos um mês. O advogado do médico protestou: "Peço que o dr. Roger permaneça onde está. Ele sofre de problemas cardíacos, passou por cirurgia e deve ficar onde os médicos possam visitá-lo com mais facilidade", assinalou. "O Estado vai se responsabilizar pelo que vier a acontecer com esse homem. Não há qualquer motivo para a transferência que não seja humilhar ainda mais o meu cliente."