Sobremesa para criança tem excesso de açúcar, diz pesquisa

Ricardo Westin - O Estado de S.Paulo

Especialistas alertam que queijinhos devem ser consumidos sem exagero

Uma pesquisa feita pela entidade de defesa do consumidor Pro Teste mostra que os queijinhos petit suisse contêm açúcar em excesso e que nem todos têm tanto ferro e cálcio quanto os valores indicados nas embalagens. Uma das sobremesas favoritas das crianças, os queijinhos petit suisse têm a aparência de um iogurte pastoso - tecnicamente, não são iogurte - e são vendidos em potinhos de 40 g e 45 g. Foram analisadas oito marcas, todas no sabor morango. Para os padrões da Pro Teste, todos os produtos têm açúcar demais. A quantidade em cada porção de 100 g variou de 11,06 g a 19,66 g. O açúcar é um dos tipos de carboidrato, que tem por função dar energia ao corpo. O amido do pão, da batata e do macarrão é outro tipo de carboidrato. Uma criança de 3 a 8 anos precisa consumir 130 g de carboidratos por dia. Um pouco mais de dois potinhos (100 g), portanto, dá conta de mais de 15% dos carboidratos necessários no dia. Quatorze potes já alcançariam toda a recomendação diária. Os açúcares, ao contrário dos outros tipos de carboidrato, são absorvidos rapidamente pelo organismo. O consumo em exagero pode levar a doenças como obesidade e diabete. "Temos sérios problemas com esse tipo de alimento", diz a médica Roseli Sarni, da Sociedade Brasileira de Pediatria. Segundo ela, muitas mães cometem o erro de dar queijinhos petit suisse a bebês com menos de 1 ano - o que estimula a preferência por alimentos doces ao longo de toda a vida. "Até 6 meses, basta o leite materno. Depois disso até o primeiro ano, a criança pode receber outros alimentos, mas naturais, como papinhas de frutas e legumes." O excesso de açúcar, além disso, leva à formação de cáries nos dentes. Ainda de acordo com a pesquisa, algumas embalagens de queijinhos declaram que os produtos são ricos em ferro e cálcio. E não são. "Antes havia aquela propaganda que dizia que valem por um bifinho. Eles não podem ser comparados. Têm muito menos nutrientes", afirma a nutricionista Mariana del Bosco, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso). Os especialistas esclarecem que os queijinhos podem ser consumidos sem exagero. Mas nunca como sobremesa. O cálcio desses produtos dificulta, no organismo, a absorção do ferro da carne do refeição. As empresas foram procuradas pelo Estado. A Nestlé disse que o Ninho Soleil e o Chambinho são fabricados "com base em diretrizes mundiais em nutrição". A Danone/Paulista afirmou que seus produtos contêm o que está prometido nos rótulos e que "a quantidade de açúcar encontrada no Danoninho é 29% menor que a média". A Batavo informou que reduzirá a quantidade de açúcar de seus queijinhos. As outras empresas não deram resposta.