Relíquias e punks nas feiras de rua

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

Lojas punk em Camden Town, artistas de rua no Covent Garden. Antiguidades em Notting Hill e produtos modernosos no Old Spitalfields. Cada um com seu estilo, os mercados de rua ajudam a fazer de Londres uma cidade peculiar e apaixonante. São paradas certas para quem pode gastar sem culpa - e sinônimo de momentos agradáveis para os que estão com poucas libras no bolso. Camden Lock No bairro de Camden Town, o mais distante do centro, ficam mercados que ilustram bem o ´lado B´ da metrópole. Punks, clubbers e toda sorte de alternativos vivem entre as lojas de roupas góticas. Se você não faz parte dessas tribos, pode até se sentir desambientado no início. Relaxe. A sensação não sobrevive ao primeiro quarteirão. Ao entrar no Camden Lock (endereço eletrônico), o mercado principal do bairro, logo se vê um pouquinho de tudo. Velas, espartilhos, bijuterias e até ´brazilian underwear´ estão expostos nas bancas. O melhor é que os vendedores estão sempre abertos a negociar. ´Para você eu faço por 10 libras´, diz um dos comerciantes. Essa é a deixa para insistir na pechincha. O mercado funciona todos os dias, das 10 às 18 horas. Aos sábados, o número de bancas triplica. Covent Garden Já quando o assunto é Covent Garden (site), não é preciso escolher hora ou dia. Sempre há o que fazer na região. Durante o dia (das 10 horas às 18 horas, de segunda a domingo), dê uma volta pelo Apple Market. Bijuterias e artigos de decoração são os produtos mais vistos. Nesse horário, as lojas do entorno também ficam abertas. Torça para que estejam em liquidação, pois os preços são salgados. À noite, Covent Garden muda. Os restaurantes ficam lotados e os pubs têm enormes filas. Entre no espírito e tente conseguir uma mesa. O pub Nag Head (10 James Street, W C2, telefone: 00--44- 20-7836-4678) é um dos mais concorridos. Você pode demorar para sentar, mas a espera é recompensada. A cerveja da casa, tipo Ale, custa 1,50 libra (R$ 6) o copo médio e 3 libras (R$ 12) o grande. Encorpada e levemente adocicada, é difícil tomar uma só. Notting Hill Passear por Notting Hill (home page) só seria mais agradável se houvesse a possibilidade de esbarrar com Hugh Grant - morador do bairro no filme Um Lugar Chamado Notting Hill (1999). O ator britânico, infelizmente, não mora lá. Mesmo assim, a região é uma das mais descoladas de Londres. E a maior parte desse charme é atribuída à famosa feira de antiguidades que ocorre todos os sábados, das 10 às 18 horas, na Portobello Road (site) . O famoso mercado de rua é um dos mais tradicionais da cidade. Em 1837, comerciantes já vendiam seus produtos pelas ruas. Hoje, mais de 2 mil expositores fazem da Portobello Road e das imediações um gigantesco antiquário a céu aberto. Nos dias de semana, as calçadas ficam repletas de bancas de frutas e quinquilharias. As calçadas largas, as lojas sofisticadas e os sobrados cheios de charme fazem a visita ser imperdível. Old Spitalfields Do outro lado da cidade - e tão diferente quanto -, o Old Spitalfields Market (endereço eletrônico), perto da Estação Liverpool Street do metrô, é lugar certo para encontrar peças da moda. As bancas estão em um galpão antigo, colado a uma galeria supermoderna, com restaurantes disputados. No galpão há casacos e camisetas com estampas psicodélicas. Dá para achar bolsas por 10 libras (R$ 40,50) e bijuterias a 5 libras (R$ 20,25). Algumas bancas vendem comida árabe e oriental. A região tem história curiosa. No início era habitada apenas por irlandeses e judeus, que tinham de caminhar para fazer compras. O mercado foi construído em 1680 e vendia apenas alimentos. Hoje, mais de 25 mil pessoas visitam o lugar por semana. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 10 às 16 horas, e aos domingos, das 9 às 17 horas.