Projeto envolve 10 mil cientistas

- O Estado de S.Paulo

No maior teste da física da história, a nacionalidade dos cientistas é o que menos importa. Israelenses, indianos, europeus, americanos, japoneses, muçulmanos, argentinos e brasileiros farão parte da experiência. No total, 10 mil cientistas vão começar, a partir de hoje, a analisar os resultados do projeto. Serão armazenados 200 milhões de resultados. Um grupo de 30 brasileiros está trabalhando em diversas partes do projeto. Segundo o Cern, apesar do interesse da comunidade internacional, alguns resultados levarão meses ou anos para serem compreendidos. Para que as avaliações possam ser feitas mais rapidamente, os dados serão enviados a 60 mil computadores e consultados por especialistas de todas as regiões. Até o Vaticano credenciou jornalistas para acompanhar o experimento. Para garantir transparência, o Cern mostrará o teste ao vivo em seu site.