Professores das Etecs e Fatecs vão receber bônus

Simone Iwasso - O Estado de S.Paulo

Benefício está ligado ao índice de desempenho das unidades, que inclui empregabilidade dos formados

A partir do ano que vem, professores e funcionários do Centro Paula Souza, responsável pelas 162 Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) e 48 Faculdades de Tecnologia (Fatecs), poderão receber bônus de até 2,4 salários caso atinjam suas metas. O sistema é semelhante ao implementado no ano passado pela Secretaria de Estado da Educação para professores e funcionários das escolas de ensino fundamental e médio da rede. O modelo de bonificação será regido pelo recém-criado Índice de Desenvolvimento do Ensino Técnico e Tecnológico do Estado de São Paulo (Idetec), indicador que leva em conta a empregabilidade dos alunos formados, a taxa de conclusão de curso, a produtividade das unidades e os resultados de uma avaliação feita com professores e estudantes. Com isso, quanto mais alunos uma unidade colocar no mercado de trabalho melhor será sua avaliação e também sua bonificação - atualmente, 92,8% dos alunos das Fatecs estão empregados um ano depois de formados. "Há muito tempo focamos nosso trabalho nos resultados e há dez anos temos um sistema de avaliação que usamos para fazermos o acompanhamento de cada unidade. A bonificação será um incremento nesse sistema", diz o vice-diretor superintendente do Centro Paula Souza, César Silva. "O primeiro pagamento do bônus está previsto para o começo do ano que vem, referente ao desempenho deste ano", diz. As Fatecs e Etecs serão divididas em grupos para avaliação, de acordo com seu tamanho, curso e tempo de existência. A meta de cada uma delas será chegar ao Idetec da melhor unidade do grupo. Além da meta por unidade, cada profissional será avaliado individualmente pela assiduidade. O Idesp, índice que determina o pagamento do bônus nas escolas de ensino fundamental e médio regular do Estado, leva em conta o desempenho do estudante em português, matemática e ciências, numa avaliação aplicada pelo governo, e o índice de aprovações das escolas. A meta de cada escola é individual, baseada no quanto ela precisa evoluir em relação a seu próprio desempenho. EXPECTATIVA A avaliação interna criada há dez anos pelo Centro Paula Souza, ligado à Secretaria de Desenvolvimento, inclui pesquisa de satisfação feita com os funcionários, professores e estudantes - são 140 mil alunos no ensino médio e técnico e 32 mil no superior. No ano que vem, essa avaliação incluirá ainda as empresas que empregam os formados, resultado de análise do processo feita pela Fipe, a pedido do governo.