Políticos no estúdio

Vera Fiori - O Estado de S.Paulo

Imagem é ferramenta importante do marketing político, como revela fotógrafa paulistana Renata Castello Branco

Renata Castello Branco aprendeu muito com o fotógrafo cearense Chico Albuquerque, de quem foi assistente. "Ele dizia que, para criar uma cumplicidade com o retratado, o toque físico era muito importante", conta a profissional, especialista em retratos de empresários e políticos. Começou com publicidade e, sempre afinada com portraits, passou a clicar líderes de empresas, como Abram Szajman, Paulo Francini e Paulo Skaf. Depois cobriu campanhas públicas, principalmente nas áreas de saúde e educação. "A experiência na publicidade conta pontos nessa hora, afinal preciso mostrar as realizações do ponto de vista do meu cliente." Entre as campanhas, fazem parte de seu book trabalhos para o Governo Federal - campanha do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) Mais Brasil para Mais Brasileiros; para a Prefeitura do Estado de São Paulo - Secretaria de Educação; para a Prefeitura de Duque de Caxias, Rio de Janeiro; e para a Prefeitura de Nova Iguaçu, também no Rio, incluindo o Fórum Mundial de Educação. A fotógrafa acaba de registrar a campanha do governo do Distrito Federal, que está sendo veiculada na mídia. Novo métier Iniciar trabalhos com personalidades políticas foi muito fácil. A primeira foto oficial foi a de um sorridente José Serra, então candidato à prefeitura de São Paulo em 2004. "A fotografia é uma ferramenta essencial na construção da imagem de um político, e a boa foto é aquela em que você consegue extrair a essência da pessoa, mesmo que trabalhando dentro dos limites de regras formais", diz Renata, que já fotografou também o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o líder estudantil e atual prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o atual candidato a prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães Neto. E para quem acredita que os políticos são iguais até na hora de tirar fotos, Renata lembra que sempre há uma particularidade, seja um olhar, a forma de sorrir e de se relacionar com a câmera. Para driblar a tensão dos candidatos em tempo de campanha, assim que o político chega ao seu estúdio, sugere que deixe as preocupações do lado de fora. "Sempre os recebo dizendo que o estúdio é um lugar de descontração." É claro que às vezes um telefonema muda o humor do "modelo", mas é só entrar no camarim que o astral volta. "Quando a eleição é para prefeito, o clima é bem mais light do que quando é para governador", conta, comparando suas experiências. Entre uma prova de roupa e outra - são três opções, com e sem gravata -, Renata passa orientações sobre a maquiagem, dá palpite sobre os looks e ajeita a postura. Cada sessão leva, em média, uma hora. Este ano, por exemplo, Renata acompanhou o candidato à prefeitura de São Paulo, Gilberto Kassab, para compor um banco de imagens. "É uma pessoa fácil de se trabalhar. Não tem pose feita nem cacoetes. Mas quem me surpreendeu foi Vitor Lippi, prefeito de Sorocaba e atual candidato à reeleição, por sua gestão humana. Entre as mulheres, a vereadora Mara Gabrilli, candidata à reeleição, é uma verdadeira lição de vida e alguém que não se estressa por nada. E uma situação curiosa, este ano, foi fotografar o ex-governador Amazonino Mendes e o vice-prefeito Omar Azis, ambos candidatos a prefeito de Manaus", conta.