Na AL, área de madeira certificada é de apenas 1,5%

Jamil Chade, GENEBRA - O Estado de S.Paulo

A área de madeira certificada é bastante reduzida na América Latina em relação a regiões mais ricas, como América do Norte e Europa, indicam dados apresentados ontem pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). No mundo, cerca de 325 milhões de hectares de florestas são certificados. Na Amazônia, a maior floresta tropical do mundo, a área certificada é de meros 1,2 milhão de hectares. O esforço pela certificação é uma forma de garantir que a produção de madeira seja feita de maneira sustentável. Governos europeus vêm tentando estabelecer políticas para evitar a importação de madeira que não seja certificada. Mas a constatação é de que a expansão das áreas que cumprem esses padrões patina em todo o mundo. O Brasil, por exemplo, tem a maior região certificada entre todos os países em desenvolvimento. Mas o volume total é de apenas 6 milhões de hectares, a maioria do Sul. Na China e na Indonésia, são só 2 milhões de hectares. Na América Latina, a área de floresta certificada passou de 1,3% em 2007 para 1,6%, em 2008, mas caiu para 1,5% neste ano. Na América do Norte, as taxas são bem mais elevadas, com 38% das florestas certificadas. Na Europa, são 54%. Em todo o mundo, apenas 8% das florestas estão sob as regras de sustentabilidade. Na América Latina, apenas 2,5% da madeira produzia é certificada. No que se refere a toras, são menos de 0,2%. Para a FAO, a queda na expansão tem sido "dramática" nos últimos três anos.