Mudança dos tempos

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

Segundo o psicólogo social Bernardo Jablonski, o casamento tradicional passou por modificações no decorrer das décadas. Com vários trabalhos voltados para essa questão, ele aponta a crise da instituição, que é caracterizada, entre outros fatores, pelo alto índice de separações e pela busca de alternativas ao casamento tradicional. ?Foram inúmeras as mudanças, entre as quais está a aceitação das uniões informais?, explica Jablonski, autor do livro Até que a Vida nos Separe (A Crise do Casamento Contemporâneo), cuja segunda edição já está esgotada. ?Nos Estados Unidos, Europa e Canadá, a coabitação, ou seja, o morar junto, é uma opção entre casais. Aqui no Brasil, isso funciona para alguns pares mais moderninhos, mas a grande parte acaba na igreja e/ou oficializando a união no civil.? Essas transformações sociais vêm sendo acompanhadas até mesmo pela legislação brasileira. O Código Civil trata da união estável, para a qual garante os mesmos direitos (e deveres) de um casamento de papel passado. Mas, sobre o test-drive, Jablonski é enfático e acha que ?experimentar antes de comprar? (entenda-se, casar) é uma ?balela?: - Ao contrário dos nossos pais e avós, os casais hoje têm a liberdade de conviver e de se conhecer intimamente em viagens, fins de semana, etc. A relação dos jovens atualmente é muito próxima. O que se deve lembrar é que essa mudança de comportamento é fruto da modernização, urbanização, surgimento de um estilo de vida individualista, perda da religiosidade, ênfase na paixão e nas relações descartáveis.