Moto também é coisa de mulherzinha

- O Estado de S.Paulo

MARCELO KUTTER Pai de Débora, 16 anos (foto) e Felipe, 12 anos POLÍTICA FAMILIAR Na casa dele, motocross é, sim, atividade para meninas. E o filho pode exercitar sem receio a sua sensibilidade "Eu e minha ex-mulher somos motociclistas, viajamos com os meninos na garupa com duas motos, gostamos de mergulho, tiro prático ... Débora sempre foi disposta a nos acompanhar e sempre a levamos para tudo, sem tentar estabelecer o que pode ou não ser uma atividade adequada para uma garota. Entendemos que a feminilidade dela não depende dessas atividades. O quarto da Débora é muito desarrumado, mas ao mesmo tempo ela é uma menina supervaidosa! O Felipe, meu outro filho, é um menino mais calmo, adora música. O garoto é muito meigo, carinhoso e extremamente educado. Felipe é um verdadeiro gentleman e, por causa disso, em alguns momentos, chegamos a avaliar se a criação dele deveria ser mais rígida, se deveria levá-lo para um padrão mais machista, que o deixasse mais próximo dos outros meninos. Mas nós entendemos que esse misto de futebol e sensibilidade é algo essencial nos homens, o que não se encontra nos dias de hoje."