Ministério quer mais campanhas na internet

Lígia Formenti, BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo

A internet é um novo foco de atenção do ministério para as ações de prevenção de aids. A preocupação se explica: 7,3% dos entrevistados mantiveram relações sexuais com pelo menos um parceiro conhecido pela internet. Tal fenômeno é mais frequente na faixa entre 15 e 24 anos: 10,5% tiveram parceiros que conheceram na rede. Na população mais velha, o fenômeno também ocorreu, mas em porcentuais menores: 1,7% das pessoas entre 50 e 64 anos conheceram seus parceiros virtualmente. "Você pensa que a vovó está fazendo crochê? Não, ela está na internet", afirmou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Diante dessa nova realidade, o ministério decidiu acompanhar alguns sites para detectar tendências de comportamento e, em alguns casos, usar essa mídia para fazer campanhas. "Não é nosso papel fiscalizar, interferir. Não queremos fazer diagnósticos dos sites, mas verificar oportunidades, para, se necessário, inserir informações", disse a coordenadora do Programa de DST-Aids, Mariangela Simão. Segundo ela, tal estratégia vem sendo usada com sucesso. "Em um dos sites, ajudamos a preparar um concurso, inserimos informações. Vamos ampliar essa estratégia."