Meio tem influência decisiva no Alzheimer

- O Estado de S.Paulo

Para o pesquisador John Zeisel, ambiente afeta o cérebro tanto quanto a química

Nem só de remédios se faz o tratamento do Alzheimer e de outras doenças degenerativas. O arquiteto norte-americano John Zeisel, um dos maiores pesquisadores e referência mundial em arquitetura voltada aos portadores de Alzheimer, acredita que o meio ambiente tem influência decisiva no desenrolar da doença. Fundador da Heathstone Alzheimer Care, um centro para cuidados de Alzheimer, nos EUA, Zeisel desenvolveu uma cartilha de arquitetura comportamental, que visa melhorar a vida dos pacientes por meio de alterações no projeto arquitetônico. ´O ambiente, assim como a química, afeta o cérebro´, diz Zeisel. O primeiro a se pensar, segundo a arquiteta Luana Radesco, do Hiléa, é a iluminação da casa. ´Idosos são sensíveis à luz, por isso, é bom ter controle sobre ela.´ Luz natural é importante, mas deve ser passível de controle, através de cortinas. Evitar pisos brilhantes é outra regra importante, pois os velhos poderão pensar que se trata de um chão escorregadio. As portas, bem iluminadas, devem ter as fechaduras destacadas. Se o ambiente tem jardim, valorize-o, para que o idoso possa visualizá-lo e se sentir atraído a visitar aquele cantinho. ´Em alguns casos, as mudanças podem fazer com que o uso de calmantes seja diminuído´, diz Zeisel.