Mãe pede demissão para poder brincar todos os dias com as filhas, sem exceção

RITA LISAUSKAS - O Estado de S.Paulo

Desse projeto ousado nasceu o blog e o livro “Tempo Junto”

Quando a publicitária Patrícia Marinho, 43, viu a foto da filha de uma amiga coberta de farinha, feliz da vida fazendo massinha caseira com a mãe, fez uma daquelas revisões que toda mãe já fez em algum momento da vida e decidiu dar um tempo no trabalho, que já não a fazia tão feliz, para se dedicar à maternidade. O que Patricia mais queria nesse momento da vida era brincar com as filhas e, por isso, começou a pesquisar sobre brincadeiras e logo criou o blog 'TempoJunto'.

“A página nasceu da necessidade que eu tinha de colocar a brincadeira com as minhas filhas como a prioridade no meu dia. Tendo um blog, eu teria a obrigação de escrever sobre as brincadeiras e, para isso, teria que brincar”, conta. “Quando eu fui pesquisar coisas para fazer com minhas filhas descobri que as brincadeiras que eu conhecia eram apenas a ponta de um iceberg imenso de brincar que existe para termos um tempo incrível com os filhos”, completa.

Foto:

As ideias e brincadeiras registradas diariamente no blog logo viraram livro, que é um verdadeiro manual do brincar junto. “Eu percebi que mais e mais pessoas estavam interessadas em trazer a brincadeira para seu dia a dia, ter ideias que fossem fáceis de serem consultadas a qualquer momento”, explica. Patrícia que é mãe de Carolina, 9, e Gabriela, 2, separou as atividades em capítulos. Há o “brincar em casa”, “brincar em casa com os amigos”, “no quintal”, “na piscina”, “no parque” até os inusitados “brincar no engarrafamento”,  “no restaurante” e até “quando tudo o que você tem são apenas 10 minutinhos”.

Mas dá para brincar com as crianças em todo lugar?, pergunto. “Dá sim, com certeza. Você pode brincar com as crianças dentro ou fora de casa, no carro, na sala de espera do médico, no banheiro, enquanto cozinha. Quando você tem um repertório de brincadeiras, percebe que elas são adaptáveis às situações do dia a dia. Então, você necessariamente não precisa ter um momento do dia dedicado a brincar. Você pode usar a brincadeira para levar seus filhos ao banho sem cair na armadilha de só mandar o tempo todo. Ou aproveitar os 15 minutos que você tem ao chegar em casa, antes dos seus filhos irem para a cama. A brincadeira é a atividade primordial da criança e por isso você pode abusar dela em todos os momentos. É só começar”, explica.

Foto:

Quem nunca viajou para longe com os filhos que perguntam de minuto em minuto se já está chegando? No livro de Patrícia descobrimos que brincar de detetive no carro pode ser um ótimo jeito de distrair as crianças e se divertir com elas ao mesmo tempo. Todos recebem uma lista de coisas para procurar durante a viagem – menos quem está dirigindo, óbvio. A lista pode ser do tamanho do trajeto e contém itens como posto de gasolina, Fusca, obra, caminhão-cegonha, vaca, pipa. Quem achar primeiro, pontua. “Para as minhas viagens com a Carol, preparei um material que imprimo e levo no carro. Vira um espécie de bingo. É diversão garantida”!, garante no capítulo “Brincar na viagem longa”, por exemplo.

Patrícia nasceu no Rio de Janeiro e tem recordações divertidas da infância em Niterói. “Eu morava em rua calma de Niterói, o que permitiu esta infância brincando fora de casa. Eu brinquei na rua com meus amigos até os 15 anos de idade, de taco e de queimada. Mas em casa, eu gostava muito de brincar com bonecas”, lembra.

- Você brinca com as suas filhas todos os dias?

O brincar com minhas filhas todos os dias já está inserido na nossa rotina. Alguns dias com mais, outros com menos tempo. Às vezes brincando junto, outras incentivando uma brincadeira. Mas elas estão sempre lá.

- Do que elas gostam de brincar?

Com a Gabriela, que hoje tem 2 anos, eu curto muito as brincadeiras sensoriais, que me dão a oportunidade de acompanhá-la explorando o novo. Ja com a Carol agora estamos em uma fase de jogos e brincadeiras com regras, como caça ao tesouro. Além disso, gostamos de brincadeiras e atividades que envolvam artes, como criar um brinquedo ou presente caseiro juntas. Ela gosta muito também de brincar de boneca. E de diferentes formas de brincar de pega-pega ao ar livre.

- O que suas filhas acham de uma mãe que tem tempo para brincar todos os dias?

A Carol demostra como gosta de eu ter passado a ficar mais tempo com elas. Ela fala "mamãe, o Tempojunto é muito legal porque faz a gente ficar junto". A Gabi ainda é pequena para dar este retorno mais formal, mas o rostinho iluminado dela cada vez que brincamos, ou como ela sugere brincadeiras que mais gosta já demostram como esta dedicação é incrível.

Foto:

- E seus amigos com filhos? Se inspiraram na sua experiência?

Tenho várias opiniões de amigos que falam o quanto sentem orgulho desta minha opção de ter tido coragem de fazer uma mudança na vida e me dedicar às brincadeiras com as meninas. Muitos deles mandam fotos e exemplos.

- Por que brincar é tão especial? O que os pais que se dedicarem à prática vão ganhar?

A gente conversa com muitos especialistas em desenvolvimento infantil em entrevistas para o blog e os outros projetos do Tempojunto. Por isso, temos a certeza do quanto a brincadeira é fundamental para o desenvolvimento saudável da criança, não só nos aspectos físicos, mas emocionais e sociais. Só isso já seria suficiente para os pais permitirem que seus filhos tenham tempo para brincar, sem superlotar as agendas da crianças. Mas além disso, brincar é o idioma das crianças. É a forma como nossos filhos se comunicam e se conectam conosco. A partir do momento em que os pais passam a falar a mesma língua dos filhos, as conexões, os vínculos formados são preciosos para a felicidade dos dois. E quando isso se mantém, a brincadeira forma laços que não se desfazem ao longo da adolescência e vida adulta.

Uma vida plena e feliz, conectada com os filhos. Não tem prêmio melhor para ganharmos como pais.