John Galliano é multado por copiar imagens

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

A empresa do estilista John Galliano foi instruída a pagar indenização de 200 mil euros (cerca de R$ 552 mil) em danos ao renomado fotógrafo americano William Klein pelo uso não autorizado de suas imagens atmosféricas numa campanha publicitária. O fotógrafo, que vive na França, disse estar "furioso" com o uso feito por Galliano de algumas de suas fotos semipintadas de cenas de rua em anúncios publicados em várias revistas de moda. As versões gigantes de folhas de contatos de Klein mostrando várias fotos, sobrepintadas em esmalte colorido de modo a destacar imagens específicas, foram um dos itens mais olhados numa exposição recente no Centro Pompidou, em Paris. O tribunal de primeira instância disse que os "contatos pintados" de Klein são uma característica que distingue o trabalho dele e que o uso das imagens por Galliano foi claramente ilegal, na ausência de qualquer autorização do fotógrafo. A corte ordenou que o estilista pague 150 mil euros para compensar pelo abuso dos direitos autorais de Klein e 50 mil euros em danos à imagem do trabalho, resultante da má qualidade das reproduções. A Galliano disse que vai apelar da decisão judicial, para tentar reduzir a multa, já que rejeitou a alegação de que sua campanha publicitária poderia ser caracterizada como "falsificação." "A campanha publicitária de John Galliano não reproduziu nenhuma imagem original do artista, logo, não pode ser acusada de falsificação", disse em comunicado o advogado da Galliano, Michael-Paul Escande. William Klein disse ao jornal Le Monde que tomou conhecimento da campanha quando um amigo lhe perguntou por que ele autorizara o uso de suas fotos em anúncios de propaganda. Ele descreveu como "plágio grosseiro" a reprodução feita de seu trabalho e declarou: "Me sinto insultado e estou furioso." John Galliano foi nomeado estilista da Givenchy em 1995, e no ano seguinte se transferiu para a Christian Dior. Klein disse estar especialmente ofendido porque a Dior lidera uma campanha implacável contra a reprodução ilegal de suas próprias criações. Uma porta-voz da Dior disse que as duas empresas são financeiramente separadas, apesar de Galliano ser o estilista chefe da Givenchy e do executivo-chefe da Dior ser também o presidente da John Galliano.