Gripe suína atinge mais de 10 mil; 80 morreram

AFP E AP - O Estado de S.Paulo

O vírus da gripe suína já infectou mais de 10 mil pessoas e matou 80 delas em 41 países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Mesmo assim, a entidade demora a declarar pandemia, por causa da pressão de governos preocupados com o impacto econômico da medida e com um possível pânico da população. México, Estados Unidos e Canadá continuam sendo os mais afetados, mas o Japão está sendo especialmente atingido, com 251 casos confirmados. O país se tornou a segunda região do mundo mais afetada. Ainda assim, a OMS diz que não há provas de que o Japão tenha se tornado um foco autônomo de transmissão entre humanos. A mudança repentina de atitude da OMS surpreendeu, porque até então a entidade havia se mostrado rápida em elevar seu nível de alerta. A diretora-geral da OMS, Margaret Chan, reconheceu que escutou recomendações dos ministros da Saúde de Brasil, Japão, China, Suíça e Reino Unido. Para esses países, o sistema de alerta da OMS é impreciso e deveria ser alterado, porque somente leva em conta fatores geográficos e não a intensidade da doença. OBESIDADE: RISCO EXTRA Uma pesquisa realizada na Califórnia com pessoas internadas por causa da gripe suína levantou a possibilidade de que a obesidade pode ser um fator de risco de sérias complicações da doença. O motivo seria uma pressão anormal sobre o peito que dificultaria a respiração. "Ficamos surpresos com a frequência da obesidade entre os casos severos que estamos monitorando", afirmou Anne Schuchat, epidemiologista do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Segundo ela, obesos poderão ter preferência na fila da futura vacina.