Governo lança amanhã plano contra aquecimento

- O Estado de S.Paulo

Os ministérios do Meio Ambiente (MMA) e de Ciência e Tecnologia (MCT) prometem divulgar amanhã o Plano Nacional sobre Mudança do Clima, com as estratégias internas do País para combater e se preparar para as conseqüências do aquecimento global. No evento, o ministro Carlos Minc (Ambiente) dividirá os holofotes com o ministro Sergio Rezende (Ciência e Tecnologia). A partir de segunda-feira, o plano estará disponível para consulta pública por apenas um mês. A pressa se dá porque o presidente Luiz Inácio Lula da Silva precisa lançar o documento antes da próxima Conferência do Clima da ONU, que acontece na Polônia em dezembro. No prazo, a secretária de Mudanças Climáticas do MMA, Suzana Kahn Ribeiro, espera que ele seja complementado com as contribuições do setor industrial no processo, que ainda não foram detalhadas no documento a ser divulgado amanhã.Outro setor crucial que também está de fora do plano é o de transportes. "Ele ainda é tratado de forma superficial porque não houve tempo hábil para que seu detalhamento fosse incorporado no texto", diz Suzana. "Vários setores ainda precisam ser incluídos, ao longo da consulta pública e na reavaliação (do plano), daqui a oito meses." Quatro eixos formam o esqueleto do plano: mitigação, adaptação, pesquisa e capacitação. A proposta é que cada setor seja tratado de forma diferente, especialmente no eixo da mitigação, ou seja, da redução da emissão de gases do efeito estufa. Cada eixo contará com objetivos a serem cumpridos em ações a serem implantadas ou que já existem. Segundo a secretária, há prazo para algumas dessas ações. As maiores fontes de emissão brasileira são o desmatamento e as queimadas, que respondem por cerca de 75% da contribuição nacional para o efeito estufa. O volume é tão grande que coloca o Brasil entre os maiores emissores globais de gases.